NOSSA MISSÃO

Divulga artigos de pesquisas científicas escritos por cientistas e pesquisadores SUD.s e não SUD.s, profissionais e amadores, a respeito da arqueologia, antropologia, geografia, sociologia, cronologia, história, linguística, genética e outras ciências relacionadas à cultura de “O Livro de Mórmon - Outro Testamento de Jesus Cristo”, uma das quatro obras padrão de “A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias”.

O Livro de Mórmon conta a história dos descendentes do povo de Leí, (profeta da casa de Manassés), que saiu de Jerusalém no ano 600 a.C. (pouco antes do Cativeiro Babilônico) e viajou durante 8 anos pelo deserto da Arábia às margens do Mar Vermelho, até chegar na América (após 2 anos de navegação), desembarcando provavelmente em algum lugar da Mesoamérica (região que inclui o sul do México, Guatemala, Belize, El Salvador, Honduras, Nicarágua e parte de Costa Rica), mais precisamente a região vizinha à cidade de Izapa, no sul do México, onde, presumem os estudiosos, tenha sido o local de assentamento da primeira povoação desses colonizadores hebreus .

Este blog não é patrocinado nem está ligado oficialmente a qualquer denominação religiosa. Todo conteúdo apresentado aqui representa a opinião e é de total e exclusiva responsabilidade de seus autores, que sempre estão devidamente identificados.

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

COMENTÁRIO DOUTRINÁRIO DO LIVRO DE MORMON - 005


Autoria de 
Rafael Danton Teixeira da Cunha


DE I NÉFI a MOSIAS

“minha alma se deleita em esclarecer o meu povo, para que aprenda.(II Néfi 25:4)”

1 Néfi Capítulo 2

5 – E desceu pelos limites perto da costa do Mar vermelho; e viajou pelo deserto, do lado mais próximo do Mar vermelho; e viajou pelo deserto com sua família, que consistia em minha mãe, Saria, e meus irmãos mais velhos, Lamã, Lemuel e Sam.
6 – E aconteceu que depois de haver viajado três dias pelo deserto, ele armou sua tenda num vale à margem de um rio de águas.
7 – E aconteceu que construiu um altar de pedras e fez uma oferta ao Senhor e rendeu graças ao Senhor nosso Deus.
8 – E aconteceu que deu ao rio que desaguava no Mar Vermelho, o nome de Lamã; e o vale ficava nas margens perto de sua desembocadura.

9 – E quando meu pai viu que as águas do rio desaguavam na fonte do Mar Vermelho, falou a Lamã, dizendo: Oh! Tu poderias ser como este rio continuamente correndo para a fonte de toda a retidão!
10 – E também disse a Lemuel: Oh! Tu poderias ser como este vale, firme, constante e imutável em guardar os mandamentos do Senhor!
11 – Ora, isto ele disse por causa da obstinação de Lamã e Lemuel; porque eis que murmuravam a respeito de muitas coisas contra seu pai, que ele era um visionário e os havia tirado da terra de Jerusalém, fazendo-os deixar a terra de sua herança e seu ouro e sua prata e suas coisas preciosas, para morrerem no deserto. E diziam que ele havia feito isso por causa das loucas fantasias de seu coração.
12 – E assim Lamã e Lemuel, sendo os mais velhos, murmuravam contra o pai. E murmuravam por desconhecerem os procedimentos daquele Deus que os havia criado.
13 – Nem acreditavam que Jerusalém, aquela grande cidade, pudesse ser destruída conforme as palavras dos profetas. E assemelhavam-se aos judeus que estava em Jerusalém, que procuravam tirar a vida de meu pai.
14 – E aconteceu que meu pai, lhes falou no vale de Lemuel, com poder, estando cheio do Espírito, até tremerem diante dele; e confundiu-os, de modo que não ousaram falar contra ele; portanto fizeram o que ele lhe ordenou.

COMENTÁRIO - 5

5 a 14 - Vemos que tão logo Leí cumpriu com os mandamentos do Senhor, levantou um altar para orar e fez uma oferta ao Senhor. Nós hoje em dia temos todos os mandamentos necessários para alcançarmos o mais alto grau de glória. De conformidade com os ensinamentos que temos, a oferta que devemos oferecer ao Senhor é um coração quebrantado e um espírito contrito. As aspirações de Leí quanto aos seus filhos são aplicáveis a todos nós. Todos devemos correr continuamente para a fonte de toda a retidão e sermos constantes e imutáveis na guarda dos mandamentos do Senhor.

Este bloco de escrituras, no entanto nos fala de algo bastante significativo e grave. O murmúrio, a desobediência ou, se quisermos, a rebelião, nos afastam de tal forma da fonte de sabedoria, que nos vemos perdidos.

O Profeta Joseph Fielding Smith nos ensina (D.S. vol. 2 p. 193/194): “É possível que as pessoas penetrem tão longe nas trevas, através de rebeldia e iniquidade que percam o espírito do arrependimento. Este é um dom de Deus, e eles ultrapassam o poder de arrependimento”.

Em Helamã (13:24 – 39) o Profeta Samuel, um lamanita, fala aos Nefitas a respeito de sua rebelião e os adverte: “Sim, ai deste povo por causa desta hora que chegou, em que expulsam os profetas e zombam deles e atiram-lhes pedras e matam-nos e praticam toda espécie de iniquidades contra eles assim como fizeram na antiguidade. E agora, quando falais, dizeis: Se tivéssemos vivido nos tempos de nossos pais, não teríamos matado os profetas; não lhes teríamos atirado pedras nem os teríamos expulsado. Eis que sois piores do que eles; pois assim como vive o Senhor, se aparece entre vós um profeta e declara-vos a palavra do Senhor, a qual testifica vossos pecados e iniquidades, revoltai-vos contra ele e o expulsais e procurais todos os meios para destruí-lo; sim, dizeis que é um falso profeta e que ele é um pecador e que é do diabo, porque ele testifica que vossas obras são más (...)”.

O Presidente Brigham Young nos diz algo terrível: “As pessoas que combatem a verdade, não param de combatê-la após a morte”.

Lemos em Mórmon 9: 3 – 5, o seguinte: “Negareis então por mais tempo o Cristo ou podereis contemplar o Cordeiro de Deus? Supondes que habitareis com ele, tendo a consciência de vossa culpa? Supondes que podereis ser felizes habitando com aquele santo Ser, quando vossa alma está atormentada pela consciência da culpa de haverdes sempre violado suas leis? Eis que eu vos digo que seríeis mais miseráveis habitando com um Deus santo e justo, conscientes de vossa imundície perante ele, do que se habitásseis, com as almas condenadas no inferno. Pois eis que quando fordes levados a ver vossa nudez perante Deus e também a glória de Deus e a santidade de Jesus Cristo, uma chama de fogo inextinguível acender-se-á em vós”.

O rebelde não pode compreender as coisas de Deus, ele desconhece os procedimentos de Deus. Deus é amor, caridade, compaixão, tolerância, e sua doutrina leva o homem a ser manso e humilde de coração. Tendo caridade que é o puro amor de Cristo. Em D&C 4: 6, o Senhor nos pede que nos lembremos de algumas virtudes que certamente nos afastarão da rebelião: “Lembrai-vos da fé, da virtude, do conhecimento, da temperança, da paciência, da bondade fraternal, da piedade, da caridade, da humildade, da diligência”.

Mosias é enfático (Mos. 15:26):” Atentai, porém e temei e tremei diante de Deus, porque deveis tremer; porque o Senhor não redime os que se rebelam contra ele e morrem em seus pecados; sim, todos os que pereceram em seus pecados desde o principio do mundo, que voluntariamente se rebelaram contra Deus; que conheciam os mandamentos de Deus e não os quiseram guardar; estes são os que não tomam parte na primeira ressurreição”.  Note-se que tanto Lamã quanto Lemuel, viam os céus abertos e recebiam a ministração de Anjos, assim eles não podiam alegar ignorância. Néfi já havia alertado estas pessoas. (II Néfi 9:27):”Mas ai daquele a quem foi dada a lei, sim, que tem todos os mandamentos de Deus, como nós, e que os transgride e desperdiça os dias de sua provação; porque o seu estado é terrível”. O Profeta Samuel (I Sam. 15: 23) colocou em seu devido lugar o pecado da rebelião: “ Porque a rebelião é  como o pecado de feitiçaria”.

Ninguém se rebela contra o Profeta de inicio. Começa rebelando-se contra os lideres locais e depois contra os lideres de área e depois contra os lideres gerais até que chega ao Profeta.  Lembro-me que em  1980 fui a Conferência Geral  em Lago Salgado e lá vi uma passeata contra o Presidente Kimball por causa da revelação de estender o direito ao Sacerdócio a todo o homem digno, independente da cor. Inclusive quando foi pedido apoio alguns levantaram a mão em contrário. Rebelião sempre houve na Igreja e creio que haverá até que o Senhor venha novamente à terra. Mas ai dos rebeldes!

(D&C 88:35) “Aquele que transgride uma lei e não obedece à lei, mas procura tornar-se uma lei para si mesmo e prefere permanecer no pecado, nele permanecendo inteiramente, não pode ser santificado por  lei nem por misericórdia, justiça ou julgamento. Portanto permanece imundo ainda”.