NOSSA MISSÃO

Divulga artigos de pesquisas científicas escritos por cientistas e pesquisadores SUD.s e não SUD.s, profissionais e amadores, a respeito da arqueologia, antropologia, geografia, sociologia, cronologia, história, linguística, genética e outras ciências relacionadas à cultura de “O Livro de Mórmon - Outro Testamento de Jesus Cristo”, uma das quatro obras padrão de “A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias”.

O Livro de Mórmon conta a história dos descendentes do povo de Leí, (profeta da casa de Manassés), que saiu de Jerusalém no ano 600 a.C. (pouco antes do Cativeiro Babilônico) e viajou durante 8 anos pelo deserto da Arábia às margens do Mar Vermelho, até chegar na América (após 2 anos de navegação), desembarcando provavelmente em algum lugar da Mesoamérica (região que inclui o sul do México, Guatemala, Belize, El Salvador, Honduras, Nicarágua e parte de Costa Rica), mais precisamente a região vizinha à cidade de Izapa, no sul do México, onde, presumem os estudiosos, tenha sido o local de assentamento da primeira povoação desses colonizadores hebreus .

Este blog não é patrocinado nem está ligado oficialmente a qualquer denominação religiosa. Todo conteúdo apresentado aqui representa a opinião e é de total e exclusiva responsabilidade de seus autores, que sempre estão devidamente identificados.

domingo, 19 de junho de 2011

Comentário Doutrinário do Livro de Mórmon - 003

Autoria de 

Rafael Danton Teixeira da Cunha

De 1 NÉFI a MOSIAS


1 Néfi 1: 16 a 20

16 – E agora eu, Néfi, não faço um relato completo das coisas que meu pai escreveu, pois ele escreveu muitas coisas que viu em visões e em sonhos; e também escreveu muitas coisas que profetizou e disse a seus filhos, das quais não farei um relato completo.
17 – Farei, porém, um relato dos meus feitos em meus dias. Eis que escrevo um resumo do registro do meu pai nas placas que fiz com minhas próprias mãos; então, depois de haver resumido o registro de meu pai, farei um relato de minha própria vida.
18 – Portanto quero que saibais que, depois de o senhor ter mostrado a meu pai, Leí, tantas coisas maravilhosas, sim, referentes à destruição de Jerusalém, eis que este se dirigiu ao povo e começou a profetizar e a declarar as coisas que vira e ouvira.
19 – E aconteceu que os judeus escarneceram dele pelas coisas que testificava a respeito deles; pois verdadeiramente testificava a respeito de suas iniqüidades e abominações; e testificava que as coisas que vira e ouvira e também as coisas que havia lido no livro manifestavam claramente a vinda de um Messias e também a redenção do mundo.
20 - E quando ouviram estas coisas, os judeus iraram-se contra ele; sim. Como haviam feito com os profetas antigos, a quem tinham expulsado e apedrejado e matado; e procuraram também tirar-lhe a vida. E eis, porém, que eu Néfi, vos mostrarei que as ternas misericórdias do Senhor estão sobre todos aqueles que ele escolheu por causa de sua fé, para torná-los fortes com o poder de libertação.

COMENTÁRIO

16 a 20 - Logo que um Profeta do Senhor recebe revelação, ele se dirige ao povo e transmite de forma clara e precisa tudo o que recebeu. Nenhum Profeta guarda para si o ensinamento recebido, porque o que ele recebe é de domínio publico. O objetivo é a salvação da humanidade. O fim a que se destina é levar a efeito a imortalidade e a vida eterna do homem. O segundo objetivo é afastar a humanidade das iniqüidades e abominações, declarar que Jesus é o Messias e preparar a humanidade para recebê-Lo.

Na época de Leí, Cristo ainda não tinha se tornado carne e ainda não habitava entre nós, então a pregação era referente à Sua vinda. Hoje a pregação é para preparar a humanidade para Sua segunda vinda. Esta ainda se encontra tomada pela iniqüidade e pela abominação. A redenção do mundo já foi conseguida, agora o objetivo é a Vida Eterna, ou o tipo de vida que Deus vive.

Da mesma forma que fizeram com Leí, a humanidade no tempo de Joseph Smith irou-se, cobriram seu corpo  de piche e depois com penas, até que a sanha demoníaca da turba, tempos depois, acabou por o matar.

Apesar de tanta maldade e de enfrentar o Senhor de forma tão brutal, o Senhor ama a humanidade e lança seu apelo, “vinde a mim” – “Ó vós que estais cansados e oprimidos, e Eu vos aliviarei”.