NOSSA MISSÃO

Divulga artigos de pesquisas científicas escritos por cientistas e pesquisadores SUD.s e não SUD.s, profissionais e amadores, a respeito da arqueologia, antropologia, geografia, sociologia, cronologia, história, linguística, genética e outras ciências relacionadas à cultura de “O Livro de Mórmon - Outro Testamento de Jesus Cristo”, uma das quatro obras padrão de “A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias”.

O Livro de Mórmon conta a história dos descendentes do povo de Leí, (profeta da casa de Manassés), que saiu de Jerusalém no ano 600 a.C. (pouco antes do Cativeiro Babilônico) e viajou durante 8 anos pelo deserto da Arábia às margens do Mar Vermelho, até chegar na América (após 2 anos de navegação), desembarcando provavelmente em algum lugar da Mesoamérica (região que inclui o sul do México, Guatemala, Belize, El Salvador, Honduras, Nicarágua e parte de Costa Rica), mais precisamente a região vizinha à cidade de Izapa, no sul do México, onde, presumem os estudiosos, tenha sido o local de assentamento da primeira povoação desses colonizadores hebreus .

Este blog não é patrocinado nem está ligado oficialmente a qualquer denominação religiosa. Todo conteúdo apresentado aqui representa a opinião e é de total e exclusiva responsabilidade de seus autores, que sempre estão devidamente identificados.

domingo, 22 de maio de 2011

Comentário Doutrinário do Livro de Mórmon - 002

Autoria de 

Rafael Danton Teixeira da Cunha

De 1 NÉFI a MOSIAS


1 Néfi 1: 4 a 15

4- Pois aconteceu no começo do primeiro ano do reinado de Zedequias, rei de Judá (tendo meu pai, Leí, morado todos os seus dias em Jerusalém); e apareceram muitos profetas, nesse mesmo ano, profetizando ao povo que todos deveriam arrepender-se ou a grande cidade de Jerusalém precisaria ser destruída.
5 - Portanto aconteceu que meu pai, Leí, enquanto seguia seu caminho, orou ao Senhor, sim de todo o coração, em favor de seu povo.
6 – E aconteceu que enquanto ele orava ao Senhor, apareceu uma coluna de fogo que permaneceu sobre uma rocha, diante dele; e foi muito o que ele viu e ouviu; e tremeu e estremeceu intensamente por causa das coisas que viu e ouviu.
7 – E aconteceu que ele retornou para a sua casa em Jerusalém e jogou-se sobre a cama, dominado pelo Espírito e pelas coisas que vira.
8 – E estando desta maneira dominado pelo Espírito, foi arrebatado em uma visão e viu os céus abertos e pensou ter visto Deus sentado em seu trono, rodeado de inumeráveis multidões de anjos, na atitude de cantar e louvar a seu Deus.
9 – E aconteceu que ele viu Um que descia do meio do céu; e viu que o seu resplendor era maior que o do sol ao maio dia.
10 -  E viu também doze outros que o seguiam; e seu brilho excedia ao das estrelas no firmamento.
11 – E eles desceram e andaram pela face da terra; e o primeiro veio e colocou-se diante de meu pai; e deu-lhe um livro e ordenou-lhe que o lesse.
12 -  E aconteceu que, enquanto lia, ele ficou cheio do Espírito do Senhor.
13 -  E ele leu, dizendo: Ai, ai de Jerusalém, pois vi tuas abominações! Sim, e meu pai leu muitas coisas concernentes a Jerusalém – que ela seria destruída, assim como seus habitantes; muitos morreriam pela espada e muitos seriam levados cativos a Babilônia.
14 -  E aconteceu que depois de ter lido e visto muitas coisas grandes e maravilhosas, meu pai prorrompeu em exclamações ao Senhor, tais como: grandes e maravilhosas são as tuas obras, ó Senhor Deus Todo Poderoso! Alto nos céus está o teu trono; e teu poder e bondade e misericórdia estendem-se sobre todos os habitantes  da Terra; e porque és misericordioso, não permitirás que pereçam aqueles que vierem a ti.
15 -  E era desta maneira que meu pai falava, ao louvar seu Deus; pois sua alma regozijava-se e todo o seu coração estava cheio por causa das coisas que vira, sim, que o Senhor lhe havia mostrado.

COMENTÁRIO

Aqui não se trata das iniquidades de uma pessoa; estamos falando das iniquidades de todo um povo. Os profetas da época estavam se esforçando para chamar o povo de Israel ao arrependimento. 

2 Reis 17: 13 -17

“E o Senhor protestou a Israel e a Judá pelo ministério de todos os profetas e de todos os videntes, dizendo: convertei-vos de vossos maus caminhos, e guardai os meus  mandamentos e os meus estatutos, conforme toda a lei que ordenei a vossos pais e que eu vos enviei pelo ministério de meus servos, os profetas. Porém não deram ouvidos; antes endureceram a sua cerviz como a cerviz de seus pais, que não creram no Senhor seu Deus. E rejeitaram os seus estatutos, e o seu concerto, que fizeram com seus pais, como também os seus testemunhos, com que protestara contra eles; e andaram após a vaidade, e ficaram vãos, como também após as nações, que estavam em roda deles, das quais o Senhor lhes havia dito que não fizessem como elas. E deixaram os mandamentos do Senhor seu Deus, e fizeram imagens de fundição, dois bezerros, e fizeram um ídolo do bosque, e se prostraram perante todo o exército do céu, e serviram a Baal. Também fizeram passar pelo fogo a seus filhos e suas filhas, e deram-se a adivinhações, e criam em agouros; e venderam-se para fazer o que parecia mal ao olhos do Senhor e para o provocarem à ira”.

2 Crônicas 36: 15 – 16

“E o Senhor Deus de seus pais, lhes enviou a sua palavra pelos seus mensageiros, madrugando, e enviando-lhes; porque se compadeceu do seu povo e da sua habitação. Porém zombaram dos mensageiros de Deus, e desprezaram as suas palavras e mofaram dos seus profetas até que o furor do Senhor subiu tanto, contra o seu povo, que mais nenhum remédio houve”.

Em todas as escrituras aprendemos que o Senhor utiliza duas maneiras de ensinar. Uma é com amor e bênçãos e a outra é com a dor e a retirada destas bênçãos, e sem elas parece que o Senhor nos amaldiçôa, mas na verdade, viver sem as bênçãos do Senhor assemelha-se a uma maldição.

O profeta Leí vendo o estado do seu povo, orou ao Senhor em favor deste povo e o senhor revelou a ele o que aconteceria e as razões do que iria acontecer.  Vemos que o Senhor  usa novamente a figura de uma coluna de fogo (como aconteceu com Moisés no Monte Sinai), para se fazer reconhecer pelos homens.

Não existe possibilidade de uma pessoa mortal, agüentar a glória de Deus se ela não for dominada (e protegida) pelo Espírito Santo, o qual "empresta" a esta pessoa parte de Sua própria glória, para que esta pessoa agüente ou permaneça viva ao entrar em contato com a Divindade.

Tanto Jesus Cristo (ou Jeová, como queiram) neste momento específico, quanto os doze apóstolos eram seres espirituais, mas já tinham glória, e o que Leí constatou foi esta glória que eles já possuíam como seres espirituais. Isto nos ensina que não é necessário que tenhamos um corpo de carne e ossos ressurreto para termos glória. Existem seres espirituais que alcançaram um estado que lhes deu a condição de terem glória.

Aprendemos em Abraão 3:23, o seguinte:

“E Deus viu que essas almas eram boas; e ele estava no meio delas e disse: a estes farei meus governantes; pois ele se encontrava entre aqueles que eram espíritos e viu que eles eram bons; e disse-me: Abraão, tu és um deles; e foste escolhido antes de nasceres”.

Toda pessoa que ora ao Senhor, recebe dEele uma revelação, então eleva seu coração agradecido pelo que viu e ouviu; compreende a grandiosidade do amor do Senhor e sabe que Ele é nosso Salvador. Que Ele comprometeu, inclusive, Sua vida para nos salvar.