NOSSA MISSÃO

Divulga artigos de pesquisas científicas escritos por cientistas e pesquisadores SUD.s e não SUD.s, profissionais e amadores, a respeito da arqueologia, antropologia, geografia, sociologia, cronologia, história, linguística, genética e outras ciências relacionadas à cultura de “O Livro de Mórmon - Outro Testamento de Jesus Cristo”, uma das quatro obras padrão de “A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias”.

O Livro de Mórmon conta a história dos descendentes do povo de Leí, (profeta da casa de Manassés), que saiu de Jerusalém no ano 600 a.C. (pouco antes do Cativeiro Babilônico) e viajou durante 8 anos pelo deserto da Arábia às margens do Mar Vermelho, até chegar na América (após 2 anos de navegação), desembarcando provavelmente em algum lugar da Mesoamérica (região que inclui o sul do México, Guatemala, Belize, El Salvador, Honduras, Nicarágua e parte de Costa Rica), mais precisamente a região vizinha à cidade de Izapa, no sul do México, onde, presumem os estudiosos, tenha sido o local de assentamento da primeira povoação desses colonizadores hebreus .

Este blog não é patrocinado nem está ligado oficialmente a qualquer denominação religiosa. Todo conteúdo apresentado aqui representa a opinião e é de total e exclusiva responsabilidade de seus autores, que sempre estão devidamente identificados.

domingo, 27 de junho de 2010

GEOGRAFIA - Onde Ficava a Terra de Abundância?



V. Garth Norman

Nome de Lugar na Mesoamérica Com Possível Protótipo Bíblico

Tradutor Elson Carlos Ferreira – Curitiba/Brasil

Nota do Editor: Esta pesquisa foi primeiramente apresentada pelo autor no AAF Newsletter nº 5, em Abril de 1988, e pode ser a primeira vez que uma terra do Livro de Mórmon é documentada, com seu nome na Mesoamérica.


Toda a terra de Abundância, onde Cristo apareceu aos nefitas, é facilmente identificada junto ao território da costa leste da estreita faixa de terra (Alma 22:31, 32;52:17ff). Muitos estudiosos mesoamericanos da geografia do Livro de Mórmon concordam que a terra de Abundância é principalmente o estado de Tabasco, no sul da região costeira do golfo do Istmo de Tehántepec e a vizinha cidade de Veracruz. Tabasco é o nome pré-colombiano deste território e tem o significado de “abundância” (Bruce Warren, personal communication, from Scholes & Roys 1948).

O nome nefita-hebreu para a terra de Abundância foi traduzido e não aparece no Livro de Mórmon. Podemos presumir que o nome original para Abundância tenha sido hebreu ou semítico. Há duas palavras em hebreu, SHO’A e TOB para Abundância (Bible Dictionary; Book of Mormon Critical Text, 1986, vol. 2, p. 591, n.55).  TOB significa uma terra boa e fértil, SHO'A significa rica ou “abundante”. Eu proponho que uma combinação destas duas palavras seja a origem do nome TABASCO.  Estas palavras podem ser facilmente reconhecidas como a transliteração de TOB(A)-SHO(A), com uma vogal de conexão para compor a palavra. Vogais às vezes são retiradas de nomes próprios (o último A).

Uma combinação de local geográfico com nome de lugar, seria mais significativo.  Haveria uma terra de Abundância na Palestina que pudesse ser o nome de um lugar do qual derivou a Abundância nefita? Sim. Tob era o nome de uma terra a leste do Mar da Galiléia, não especificamente identificada, que era o distrito mais fértil e mais próspero de toda a Palestina. É curioso que o ministério de Cristo na Palestina começou nas margens do Mar da Galiléia, exatamente como seu ministério entre os nefitas teve lugar em Abundância. Tob, a leste do Mar da Galiléia, era a rica e fértil terra de Bashan, banhada por numerosos córregos do Monte Herman e conhecida por suas ricas terras gramadas. (Wigoder 1986). Bashan, margeada pelo lado leste do rio Jordão e pelo Mar da Galiléia, era um distrito no extremo norte da terra da Palestina, assim como a terra de Abundância do Livro de Mórmon, e se assemelha a Tobasco, que também é o território no extremo norte da terra de Zaraenla.


Algumas explorações têm sido conduzidas para identificar a cidade de Abundância, mas até o presente não há dados arqueológicos ou ruínas convincentes.Eu, pessoalmente, favoreço a cidade de Minatitlan, que é uma cidade pré-colombiana perto do Rio Coatzacoalcos no Istmo de Tehuántepec.

A cidade de Abundância ficava na costa leste e era a maior defesa para evitar que os lamanitas penetrassem nas terras ao norte daquela região. A área de Minatitlan é bem apropriada para defesa porque está situada às margens das terras altas, na barranca oeste do Rio Coatzacoalcos, que não flui durante a estação das chuvas. Um grande monte se levanta acima da mata bem ao sul de Minatitlan. Eu examinei aquedutos com cerâmica depositada bem no fundo, em Minatitlan, mas não fiz um estudo arqueológico desta área. Se a cidade de Abundância nunca foi abandonada, então Minatitlan é para mim a que tem as melhores probabilidades. Coatzacoalcos é outra possibilidade.

Há alguma evidência de que Minatitlan foi uma cidade de defesa? MINA em Nahuatl significa "ferir ou perfurar algo com flechas".  TLAN significa "lutar" e pode significar "abundância de TLAH”.  TITLAN é um lugar para onde um mensageiro é enviado (Karttunen 1983). Este significado pode refletir Abundância como uma defesa estratégica na Faixa Estreita, para onde Teâncum foi enviado, onde o exército de Morôni interceptou Moriânton, e onde Abundância foi fortificada como a última defesa ao longo da costa leste, contra penetração lamanita na terra do norte.

Nós daremos uma olhada nas evidências lingüísticas para ABUNDÂNCIA em Notas de Pesquisas subseqüentes.


Referências


Book of Mormon Critical Text, 1986, Critical Text Project. Vol.2, Foundation for Ancient Research and Mormon Studies. Provo.                 

Karttunen, Frances. 1983, An Analytical dictionary of Nahuatl. University of Texas Press, Austin.


Scholes, F. V., and R. L. Roys. 1948, The Maya Chontal Indians of Acalan-Tixchel. Carnegie Inst. Wash., Pub. 560. Washington.

Smith, William.  Bible Dictionary, 1948.

Wigoder, Geoffrey Gen. Ed. 1986, Illustrated dictionary & Concordance of the Bible. The Jerusalem Publishing House Ltd.

Copyright © 1999-2002 Ancient America Foundation