NOSSA MISSÃO

Divulga artigos de pesquisas científicas escritos por cientistas e pesquisadores SUD.s e não SUD.s, profissionais e amadores, a respeito da arqueologia, antropologia, geografia, sociologia, cronologia, história, linguística, genética e outras ciências relacionadas à cultura de “O Livro de Mórmon - Outro Testamento de Jesus Cristo”, uma das quatro obras padrão de “A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias”.

O Livro de Mórmon conta a história dos descendentes do povo de Leí, (profeta da casa de Manassés), que saiu de Jerusalém no ano 600 a.C. (pouco antes do Cativeiro Babilônico) e viajou durante 8 anos pelo deserto da Arábia às margens do Mar Vermelho, até chegar na América (após 2 anos de navegação), desembarcando provavelmente em algum lugar da Mesoamérica (região que inclui o sul do México, Guatemala, Belize, El Salvador, Honduras, Nicarágua e parte de Costa Rica), mais precisamente a região vizinha à cidade de Izapa, no sul do México, onde, presumem os estudiosos, tenha sido o local de assentamento da primeira povoação desses colonizadores hebreus .

Este blog não é patrocinado nem está ligado oficialmente a qualquer denominação religiosa. Todo conteúdo apresentado aqui representa a opinião e é de total e exclusiva responsabilidade de seus autores, que sempre estão devidamente identificados.

sábado, 10 de maio de 2014

CLIMA - "El Niño" e O Livro de Mórmon

Doug Christensen
 Traduzido por Elson C.Ferreira – Curitiba/Brasil
de.jerusalem.as.americas@gmail.com
 Em 1947, um jovem explorador norueguês chamado Thor Heyerdahl construiu uma balsa segundo o modelo dos nativos polinésios e cruzou o Oceano Pacífico desde o Peru até a Polinésia. Ele chamou sua balsa de pelo nome de Kon Tiki, e seu propósito era mostrar a possibilidade de as ilhas polinésias terem sido colonizadas por pessoas vindas das Américas Central e do Sul. Ele lançou a hipótese de que os ventos prevalecentes e as correntes dos mares no oeste do Continente Americano fluíam basicamente a oeste, e que esses ventos e correntes poderiam ter levado antigos navegadores até a Polinésia. Sua viagem foi eminentemente bem sucedida, e ele mostrou ao mundo que sua teoria era plausível.
 Artigos pictóricos a respeito da viagem de Heyerdahl apareceram em todas as maiores revistas no ano de 1947, e os Santos dos Últimos Dias ficaram particularmente entusiasmados com essa publicidade. Para eles, a viagem mostrou que a narrativa do Livro de Mórmon a respeito de viagens trans-oceânicas era plausível.
 Infelizmente, as recomendações de Heyerdahl falha em face da proposta rota de viagem de Leí e sua família desde o sul da Arábia até a Mesoamérica. Esta proposta rota vai a leste da região sul da Arábia através do Oceano Pacífico até a Mesoamérica.  A “falha” seria que esta rota é contrária aos ventos prevalecentes e correntes -exceto durante os anos em que ocorre o “El Niño.”
 O “El Niño” é uma interrupção do sistema composto do oceano e a atmosfera no Pacífico tropical. Ele ocorre a cada dois a sete anos com padrões não estabelecidos de repetição. Durante os anos normais os ventos sopram em direção ao oeste e as correntes do oceano se movem, geralmente, na direção do oeste. Durante os anos em que ocorre o “El Niño”, as correntes mudam de direção e geralmente se movem na direção do leste, e os ventos não somente mudam para a direção do leste como também aumentam de velocidade e intensidade.
 Curiosamente Leí e sua família não se puseram ao mar do sul da Arábia imediatamente depois de Néfi e seus irmãos terem terminado a construção do seu navio. Eles não navegaram até Leí ter recebido uma revelação do Senhor. Este evento não somente segue princípios estabelecidos do sacerdócio como também provavelmente indica que Leí havia sido informado para que não saíssem ao mar até que o Senhor lhe desse instruções para que o fizesse. (1 Néfi 18:4-5).Estaria o Senhor esperando que o “El Niño” mudasse o tempo?
Copyright © 1999-2002 Ancient America Foundation. Esta mensagem pode ser copiada com a devida informação de identificação. Visite o web-site:

Gostaríamos de saber sua opinião a respeito do nosso trabalho. Por favor, envie por e-mail seus comentários, ou faça perguntas através do e-mail: de.jerusalem.as.americas@gmail.com