NOSSA MISSÃO

Divulga artigos de pesquisas científicas escritos por cientistas e pesquisadores SUD.s e não SUD.s, profissionais e amadores, a respeito da arqueologia, antropologia, geografia, sociologia, cronologia, história, linguística, genética e outras ciências relacionadas à cultura de “O Livro de Mórmon - Outro Testamento de Jesus Cristo”, uma das quatro obras padrão de “A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias”.

O Livro de Mórmon conta a história dos descendentes do povo de Leí, (profeta da casa de Manassés), que saiu de Jerusalém no ano 600 a.C. (pouco antes do Cativeiro Babilônico) e viajou durante 8 anos pelo deserto da Arábia às margens do Mar Vermelho, até chegar na América (após 2 anos de navegação), desembarcando provavelmente em algum lugar da Mesoamérica (região que inclui o sul do México, Guatemala, Belize, El Salvador, Honduras, Nicarágua e parte de Costa Rica), mais precisamente a região vizinha à cidade de Izapa, no sul do México, onde, presumem os estudiosos, tenha sido o local de assentamento da primeira povoação desses colonizadores hebreus .

Este blog não é patrocinado nem está ligado oficialmente a qualquer denominação religiosa. Todo conteúdo apresentado aqui representa a opinião e é de total e exclusiva responsabilidade de seus autores, que sempre estão devidamente identificados.

segunda-feira, 26 de março de 2012

COMENTÁRIO DOUTRINÁRIO DO LIVRO DE MORMON - 011


DE 1 NÉFI a MOSIAS

Autoria de Rafael Danton Teixeira da Cunha

“minha alma se deleita em esclarecer o meu povo, para que aprenda.(II Néfi 25:4)”

I NÉFI
Capitulo 4
1 – E aconteceu que falei a meus irmãos, dizendo: Subamos novamente a Jerusalém e sejamos fiéis aos mandamentos do Senhor; pois eis que Ele é mais poderoso que toda a terra. Por que então não há de ser mais poderoso que Labão e seus cinqüenta, sim ou mesmo suas dezenas de milhares?
2 – Subamos, portanto; sejamos fortes como Moisés; porque ele por certo falou às águas do Mar Vermelho e elas dividiram-se para um e outro lado; e nossos pais saíram  do cativeiro passando sobre terra seca; e foram seguidos pelos exércitos de Faraó, que se afogaram nas águas do Mar Vermelho.
3 – Agora, eis que sabeis que isso é verdade; e sabeis também que um anjo vos falou; como pois podeis duvidar? Subamos o Senhor tem poder para livrar-nos, como livrou nossos pais; e para destruir Labão, como destruiu os egípcios.
4 – Ora depois de haver eu dito estas palavras, ainda estavam irritados e continuaram a murmurar; não obstante, seguiram-me até chegarmos às muralhas de Jerusalém.
5 – E era noite; e eu fiz com que se escondessem fora das muralhas. E depois de se haverem eles escondido, eu Néfi, penetrei sorrateiramente na cidade e dirigi-me à casa de Labão.
6 – E fui conduzido pelo Espírito,não sabendo de antemão o que deveria fazer.
7 – Não obstante segui em frente e, chegando perto da casa de Labão, vi um homem que havia caído no chão, diante de mim, porque estava bêbado de vinho.
8 -  E aproximando-me dele, vi que era Labão.

COMENTÁRIO

1 a 8 - Aqui temos alguns princípios a aprender. O primeiro é que a visão de seres celestiais não nos dá fé. A fé é necessária para que sejamos fiéis. Não se é fiel a uma coisa ou a uma causa, se a gente não tem fé. Outro ensinamento é de que as pessoas que não crêem, não concebem a grandiosidade e o poder do Altíssimo. As escrituras são pródigas em nos mostrar que pessoas sem fé temem os homens mais do que a Deus. Mês que os exemplos do passado nos atestem a força de um Deus Todo-poderoso, elas não acreditam. Por fim, aprendemos que devemos ser guiados pelo espírito em tudo aquilo que vamos fazer.

Quando temos fé em algo, nada pode nos afastar daquilo que cremos. Paulo quando escreveu aos Romanos (8:38-39), assim se manifestou: “Porque estou certo de que, nem a morte nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir, nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus”. Isto é fé! Em Hebreus (11:8) aprendemos: “Pela fé Abraão, sendo chamado, obedeceu, indo para um lugar que havia de receber por herança; e saiu sem saber para onde ia.

O Presidente Hincley em seu livro (Faith, the essence of true Religion – p. 2) nos ensina: “Em seguida da morte do Salvador, teriam seus apóstolos seguido em frente, ensinando sua doutrina, mesmo dando suas vidas nas mais penosas circunstâncias, se houvesse alguma incerteza concernente a aquele a quem representavam e cuja doutrina eles ensinavam?

Sidney Rigdom viu anjos e teve experiências espirituais que a grande maioria dos santos jamais terá. Porém não permaneceu fiel. Oliver cowdery teve as mesmas experiências que Sidney ou talvez até maiores, caiu, porem mais humilde que o primeiro, retornou, mas perdeu seu principado.

Se deixarmos que o Espírito nos guie, em nossas ações, jamais erraremos. Ele nos direcionada à verdade. Podemos não entender no momento, suas determinações, mas certamente não erraremos. Nossa visão se limita ao nosso conhecimento, porém se seguirmos a visão do Espírito, estaremos nos apoiando em alguém que tem a visão cujo alcance é infinito.