NOSSA MISSÃO

Divulga artigos de pesquisas científicas escritos por cientistas e pesquisadores SUD.s e não SUD.s, profissionais e amadores, a respeito da arqueologia, antropologia, geografia, sociologia, cronologia, história, linguística, genética e outras ciências relacionadas à cultura de “O Livro de Mórmon - Outro Testamento de Jesus Cristo”, uma das quatro obras padrão de “A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias”.

O Livro de Mórmon conta a história dos descendentes do povo de Leí, (profeta da casa de Manassés), que saiu de Jerusalém no ano 600 a.C. (pouco antes do Cativeiro Babilônico) e viajou durante 8 anos pelo deserto da Arábia às margens do Mar Vermelho, até chegar na América (após 2 anos de navegação), desembarcando provavelmente em algum lugar da Mesoamérica (região que inclui o sul do México, Guatemala, Belize, El Salvador, Honduras, Nicarágua e parte de Costa Rica), mais precisamente a região vizinha à cidade de Izapa, no sul do México, onde, presumem os estudiosos, tenha sido o local de assentamento da primeira povoação desses colonizadores hebreus .

Este blog não é patrocinado nem está ligado oficialmente a qualquer denominação religiosa. Todo conteúdo apresentado aqui representa a opinião e é de total e exclusiva responsabilidade de seus autores, que sempre estão devidamente identificados.

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

UM POVO DEDICADO A CRISTO

“A Igreja de
JESUS CRISTO
dos Santos
dos Últimos Dias”

A crença na divindade de Jesus Cristo é a essência da doutrina d’A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Os membros da Igreja creem que Jesus Cristo é o Filho de Deus, o Salvador do mundo, o Messias prometido e o Mediador entre Deus e seus filhos. Os membros da Igreja amam e adoram a Cristo e procuram honrá-lo, dedicando a vida a Seus ensinamentos e levando uma vida digna e virtuosa.

Os santos dos últimos dias acreditam que Cristo dirige Sua Igreja por intermédio de um profeta vivo e Doze Apóstolos. Aceitam a Bíblia como escritura sagrada e também um registro sagrado chamado O Livro de Mórmon - Outro Testamento de Jesus Cristo. Esse livro de escrituras contém um relato do ministério de Cristo no continente americano após Sua ressurreição. Joseph Smith, o primeiro Presidente da Igreja, traduziu esse registro a partir de placas de ouro pelo dom e poder de Deus. Os santos dos últimos dias também consideram escritura dois outros livros de revelações, Doutrina e Convênios e A Pérola de Grande Valor. Esses três livros, juntamente com a Bíblia,  testificam da divindade e graça salvadora do Senhor Jesus Cristo.

As palavras de um profeta do Livro de Mórmon deixam bem clara a importância de Jesus vida dos membros da Igreja "E falamos de Cristo, regozijamo-nos em Cristo, pregamos a Cristo, profetizamos de Cristo e escrevemos de acordo com nossas profecias, para que nossos filhos saibam em que fonte procurar a remissão de seus pecados". (2 Néfi 25 26)

UMA IGREJA MUNDIAL, UMA FÉ GLOBAL

A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, cujos membros são mais de dez milhões de membros, em mais de 160 países. É uma das denominações que cresce mais rapidamente no mundo. A Igreja está-se tornando conhecida como uma âncora de valores morais e de uma vida religiosa prática em um mundo de valores variáveis e uma moralidade em deterioração.

Pouco depois de a Igreja ter sido organizada nos Estados Unidos, em 1830, enviaram-se missionários a todo o mundo para divulgar o evangelho de Jesus Cristo e Sua Igreja restaurada. Na metade do século XIX, a Igreja estava estabelecida no Canadá, Inglaterra, Escandinávia e Europa ocidental. A Igreja também se espalhou pelas ilhas do Pacífico. Um século e meio depois, a Igreja está florescendo nessas partes do mundo e mostrando um extraordinário crescimento na América Latina, Ásia e África. A sede da Igreja está localizada em Salt Lake City, Utah, Estados Unidos.

Em cada país no qual a Igreja é estabelecida, são chamados membros locais, sob a orientação das autoridades da Igreja, para liderar e ministrar nas congregações. Toda a liderança da Igreja é voluntária, não recebendo pagamento pelos serviços prestados. A Igreja ensina seus membros a amarem e servirem seus semelhantes, a honrarem e obedecerem à lei e a serem cidadãos ativos e leais do país em que vivem.

TRABALHO MISSIONÁRIO

Os mais de 61.000 missionários que servem em mais de 330 missões em todo o mundo contribuem significativamente para o rápido crescimento d’A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.


 Seguindo o padrão estabelecido na Bíblia , os missionários são enviados dois a dois para compartilhar o evangelho restaurado de Jesus Cristo com outras pessoas, prestar serviços comunitários e ajudar as pessoas necessitadas. A maioria dos missionários são rapazes e moças de 19 a 25 anos, embora também haja muitos casais e pessoas mais idosas servindo como missionários.

Os missionários servem sem receber remuneração e sua missão dura dezoito meses a dois anos. Seu sustento provém de suas próprias economias, do dinheiro enviado pela família e do apoio de sua congregação local da Igreja.

Como os missionários da Igreja são chamados para servir em todo o mundo, freqüentemente eles precisam aprender outra língua. Esse serviço voluntário amplia a compreensão do missionário de diferentes culturas, costumes, línguas e, o mais importante, da necessidade de doarem-se de modo abnegado.

HISTÓRIA

A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias foi organizada oficialmente em 1830, mas sua origem data de uma década antes, numa época de reavivamento religioso no leste dos Estados Unidos. Na primavera de 1820, um menino de quatorze anos chamado Joseph Smith,


depois de refletir a respeito das diversas religiões existentes, foi até um bosque que ficava próximo à fazenda de sua família para orar pedindo orientação. Em resposta à sua oração, Deus, o Pai, e Seu Filho Jesus Cristo apareceram a Joseph. Jesus Cristo disse a Joseph Smith que muitos de Seus ensinamentos e a autoridade do Sacerdócio encontrados em Sua Igreja original tinham sido alterados ou perdidos ao longo dos séculos. Em cumprimento a profecias bíblicas, o Senhor agiu por meio de Joseph Smith para restaurar sua Igreja e Seu Sacerdócio.

Após a organização da Igreja, as perseguições religiosas forçaram Joseph Smith e os membros da Igreja a mudarem-se várias vezes. Em 1844, Joseph Smith foi morto como mártir por uma multidão enfurecida, em Carthge, Ilinois. Dois anos depois, Brigham Young, que sucedeu Joseph Smith com Presidente da Igreja, conduziu milhares de santos dos últimos dias em uma jornada de mais de dois mil quilômetros, saindo de Nauvoo, Illinois, até o vale do Grande Lago Salgado atravessando a desabitada região central dos Estados Unidos, que hoje faz parte do estado de Utah. No final do século XIX, os membros da Igreja de todo o mundo reuniram-se nos vales de Utah. A partir de lá, fundarem cidades e municípios em todo o oeste americano.

Durante o período final do século XIX, a poligamia foi ensinada e praticada por alguns líderes e membros da Igreja. No entanto, uma proclamação oficial feita pelos líderes da Igreja em 1890 pôs fim a essa prática. Ninguém que pratique a poligamia atualmente pode ser membro da Igreja.

A Igreja apresentou contínuo progresso desde seu estabelecimento, e entre seus membros estão muitos preeminentes políticos, educadores, empresários e outros profissionais de destaque em todo o mundo.


Atualmente a Igreja é conhecida e respeitada internacionalmente.

CRENÇAS

O ponto central da teologia d’A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias é a crença de que Jesus Cristo é o Filho de Deus e que por meio Dele todas as pessoas podem viver com Deus para sempre.


Os membros acreditam que a Igreja é a restauração da Igreja de Cristo mencionada no Novo Testamento. A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias é hoje dirigida por um ministério idêntico à organização da Igreja do Novo Testamento, incluindo apóstolos, setentas, bispos e anciões (élderes). Os ministros locais e dezenas de milhares de missionários servem em todo o mundo sem receber remuneração.

Os santos dos últimos dias seguem um estilo de vida condizente com sua crença no evangelho de Jesus Cristo e sua dedicação a ele. Os membros são ensinados a obedecerem aos Dez Mandamentos, a serem honestos, a serem virtuosos, a serem fiéis ao cônjuge e a serem cidadãos leais ao país em que vivem. Eles acreditam na força da família e se esforçam por seguir o exemplo de caridade de Cristo, cuidando de seus semelhantes e ajudando ao próximo.

A doutrina da Igreja incentiva a boa saúde por meio da nutrição adequada; exercício; descanso, trabalho árduo; e abstinência de álcool, fumo, chá, café e outras substâncias nocivas. Além disso, os santos dos últimos dias são ensinados a buscar o desenvolvimento pessoal estudando a vida toda, tanto formal quanto informalmente.

A FAMÍLIA ETERNA

A família é a unidade básica d’A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. A Igreja ensina que é na família que os princípios do viver cristão são mais bem exemplificados. As famílias são incentivadas a orar e estudar as escrituras em conjunto, todos os dias, e a reunir-se uma vez por semana para realizar uma “reunião familiar”, que é uma noite em que a família se reúne para estudar e divertir-se, servir ao próximo e aprender o evangelho. Os programas e materiais da Igreja destinam-se a apoiar os membros e ajudá-los a fortalecer seu relacionamento familiar.

De acordo com os ensinamentos da Igreja, vivemos antes de nosso nascimento mortal e continuaremos a viver depois que partimos desta vida terrena.. A Igreja também ensina que o casamento e o relacionamento familiar podem Ter continuidade na vida futura. Essa união da família se torna possível por intermédio de ordenanças sagradas realizadas nos templos. Diferindo das capelas SUDs, onde os membros da Igreja assistem a reuniões de adoração semanais aos domingos, os templos destinam-se ao propósito específico de unir a família para a eternidade.
Os membros da Igreja também realizam nesses templos uma obra sagrada em favor de seus antepassados falecidos, unindo marido e mulher, e pais e filhos, para toda a eternidade. A fim de identificar devidamente os antepassados falecidos, a Igreja mantém os maiores arquivos genealógicos do mundo na “Family History Library” em Salt Lake City e em Centros de História da Família menores, espalhados por todo o mundo. Esses registros estão à disposição do público, gratuitamente.


UM POVO QUE SE PREOCUPA COM SEU SEMELHANTE:

SERVIÇO HUMANITÁRIO – Servir o próximo é um aspecto fundamental do evangelho de Jesus Cristo. Os santos dos últimos dias acreditam que “quando estais a serviço de vosso próximo, estais somente a serviço de vosso Deus”. (Mosias 2:17)

Como discípulos do Salvador, os membros da Igreja são incentivados a servir o próximo e sua comunidade. Além disso, a cada mês, os santos dos últimos dias fiéis jejuam por duas refeições consecutivas e doam o dinheiro economizado para o fundo de ofertas de jejum da Igreja, a fim de ajudar os pobres.
A Igreja mantém seu próprio sistema de bem-estar baseado nos conceitos da auto-suficiência. Quando os membros procuram auxílio de bem-estar, a ajuda prestada é considerada temporária, ou seja, até que os membros se tornem novamente auto-suficientes. O programa de bem-estar ensina os membros a continuarem seus estudos; a desenvolverem suas aptidões vocacionais; a administrar as finanças; a produzir e armazenar alimentos; e a manter-se saudável física, emocional e espiritualmente.
A Igreja também participa de inúmeros projetos de serviço humanitário em todo o mundo. Uma organização voluntária patrocinada pela Igreja, a Latter-day Saint Charities, freqüentemente trabalha em conjunto com governos locais e organizações cívicas para fornecer auxílio e suprimentos a vítimas da fome, de terremotos, furacões, inundações e outras calamidades. Como exemplo, podemos citar o auxílio enviado após o terremoto de 1985 na cidade do México e depois do furacão Mitch, na América Central, em 1998.


Além disso, os missionários da Igreja ensinam técnicas médicas, agrícolas e empresariais aos moradores de países menos desenvolvidos

A IGREJA NA AMÉRICA LATINA: O CRESCIMENTO DA IGREJA

Os primeiros missionários d’A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias enviados à América Latina desembarcaram em Valparaiso, Chile, em 1851. Os primeiros missionários enviados ao México, lá chegaram em 1876. No entanto, o verdadeiro crescimento significativo da Igreja na América Latina teve início na década de 1950. Hoje há quase quatro milhões de membros da Igreja no México, América Central e nos países da América do Sul, da Colômbia ao Chile.

O primeiro templo da América Latina foi concluído  em São Paulo, Brasil, em outubro de 1978. Os templos são edifícios sagrados nos quais são realizadas cerimônias religiosas especiais, como o casamento para esta vida e para a eternidade. No início da década de 1980, foram construídos templos em Santiago, Chile; Cidade do México; e na cidade da Guatemala. Outros templos foram posteriormente dedicados em Buenos Aires, Argentina e em Lima, Peru. No final do ano 2000 já haviam doze templos na América do Sul, três na América Central e Caribe, e doze templos no México. No final do ano de 2002 haviam cinco templos no Brasil, sendo um na cidade de São Paulo, um no Recife, um em Porto Alegre e um em Campinas; outro já foi anunciado em Curitiba.. Esses  templos são uma indicação do crescimento e força da Igreja nessa parte do mundo. No total, são mais de 110 templos em todo o mundo. Além desses edifícios sagrados, há milhares de capelas espalhadas pelas cidades e comunidades da América Latina. Esses edifícios são utilizados para serviços de adoração dominicais e atividades sociais.

Em cada país onde a Igreja esteja organizada, os membros locais dirigem sua própria congregação; eles ensinam e ministram uns aos outros. A Igreja incentiva seus membros a amarem e servirem seus semelhantes, a honrarem e obedecerem à lei; e a serem cidadãos leais do país em que vivem. Entre os membros da América Latina, estão milhares de líderes que servem no ministério da Igreja sem remuneração. Alguns servem em altos escalões da liderança da Igreja, onde seus talentos ajudam a governar a organização mundial da Igreja.
Em sua vida particular e profissional, encontramos  membros da América Latina trabalhando em todos os tipos de empresas e empreendimentos públicos e privados. Há membros que ocupam cargos governamentais, militares, educacionais, etc. Os santos dos últimos dias também são incentivados a servir e apoiar sua comunidade. Muitos membros foram eleitos ou indicados a cargos no governo de sua respectiva cidade, região ou país.
Onde quer que haja pessoas que estejam aceitando os ensinamentos d’A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos dias, vidas, lares e comunidades estão sendo fortalecidos e abençoados. Os membros da Igreja estão exercendo uma influência positiva nas nações da América Latina.