NOSSA MISSÃO

Divulga artigos de pesquisas científicas escritos por cientistas e pesquisadores SUD.s e não SUD.s, profissionais e amadores, a respeito da arqueologia, antropologia, geografia, sociologia, cronologia, história, linguística, genética e outras ciências relacionadas à cultura de “O Livro de Mórmon - Outro Testamento de Jesus Cristo”, uma das quatro obras padrão de “A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias”.

O Livro de Mórmon conta a história dos descendentes do povo de Leí, (profeta da casa de Manassés), que saiu de Jerusalém no ano 600 a.C. (pouco antes do Cativeiro Babilônico) e viajou durante 8 anos pelo deserto da Arábia às margens do Mar Vermelho, até chegar na América (após 2 anos de navegação), desembarcando provavelmente em algum lugar da Mesoamérica (região que inclui o sul do México, Guatemala, Belize, El Salvador, Honduras, Nicarágua e parte de Costa Rica), mais precisamente a região vizinha à cidade de Izapa, no sul do México, onde, presumem os estudiosos, tenha sido o local de assentamento da primeira povoação desses colonizadores hebreus .

Este blog não é patrocinado nem está ligado oficialmente a qualquer denominação religiosa. Todo conteúdo apresentado aqui representa a opinião e é de total e exclusiva responsabilidade de seus autores, que sempre estão devidamente identificados.

terça-feira, 23 de agosto de 2011

HISTÓRIA - História da Igreja no Brasil

135 anos da visita de Dom Pedro II a Salt Lake City

 André Silveira e Dagmar Munhoz

Conselho Multiestacas São Paulo para Assuntos Públicos
Visite nosso BLOG: http://apmesp.wordpress.com

Nós, brasileiros, somos um povo apreciador de boas histórias, e a História do Brasil nos oferece um banquete inesgotável de curiosidades. Uma delas está intimamente relacionada à Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Trata-se da visita que o Imperador Dom Pedro II fez aos Estados Unidos e, mais especificamente, a Salt Lake City, Utah, em 1876.

Neste mês, abril de 2011, completa-se 135 anos da realização dessa histórica visita. O Evangelho restaurado somente foi trazido ao Brasil durante o início do século XX, data relativamente recente. Portanto, é interessante descobrir alguns pontos de contato entre o nosso país e a Igreja no século retrasado, quando éramos Império e a Igreja ainda era uma jovem Igreja no Oeste americano, com cerca de 100.000 membros.

A viagem

Pode-se dizer que a viagem do Imperador aos Estados Unidos, e particularmente a Utah, foi única em vários sentidos. Dom Pedro II foi o primeiro monarca a visitar os Estados Unidos, país republicano desde sua origem. Além disso, foi a primeira comitiva do governo brasileiro a ter contato com a Igreja em sua Sede, em Salt Lake City.

O Imperador fora aos Estados Unidos participar da celebração do centenário da independência americana, chegando em Nova York dia 15 de Abril de 1876. Ele declarou: “desejo conhecer o centro da indústria e aprender algo que possa ser utilizado em meu país quando retornar”.1

Dom Pedro II queria conhecer o país de perto, faria isso viajando de trem de Nova York a São Francisco, passando pela Cidade de Ogden, no Território de Utah.

A passagem pelo Território de Utah.

Vista de Salt Lake City
Ao saberem da passagem do Imperador do Brasil pelo Território de Utah, os membros do Conselho municipal de Salt Lake City se reuniram em sessão extraordinária para deliberar sobre uma possível visita de Dom Pedro II à cidade. O Presidente Brigham Young, que era membro do Conselho municipal, porpôs uma moção autorizando o Prefeito da cidade a entrar em contato com a comitiva real e iniciar os preparativos caso a visita fosse confirmada. No dia 21 de abril, o Prefeito recebeu a confirmação por telegrama de que Dom Pedro II, Imperador do Brasil, viajaria de Ogden (onde estava localizada a estação de trem) até Salt Lake City para conhecer a cidade.2  O visitante real chegou à sede da Igreja no sábado, 22 de abril de 1876, às 20h, e foi imediatamente ao Teatro Salt Lake, onde presenciou um programa do humorista Alfred Burnett. Seu camarote estava ornamentado com os pavilhões dos Estados Unidos e do Brasil, e a orquestra entoou o Hino Nacional Brasileiro.3

No dia seguinte, visitou a Praça do Templo. Ele ficou maravilhado com o Tabernáculo, cuja construção havia sido terminada apenas 9 anos antes, bem como com o órgão, que naquela época era menor do que o existente hoje. Depois de conhecer o Tabernáculo, Dom Pedro II pode “observar com muito interesse” os alicerces do Templo de Salt Lake, em construção desde 1853. Ao caminhar pela Praça do Templo, o Imperador fez inúmeras perguntas “relativas à fé religiosa e práticas dos Santos dos Últimos Dias. Pela natureza de suas perguntas e observações, Dom Pedro II demonstrou atenção à história da Igreja.” Antes de sair, adquiriu várias publicações produzidas pela Igreja.4
tabernacle_in
Também visitou a “Savage Art Gallery” e lá comprou fotografias de Utah, que hoje podem ser vistas no site da Biblioteca Nacional. 5

Depois do tour pela Praça do Templo, assistiu à missa na Igreja de Santa Maria Madalena e, após uma rápida passagem pelo Camp Douglas, dirigiu-se à Capela da Ala Salt Lake 14, para assistir a uma Reunião Sacramental. Ao chegar, foi-lhe oferecido um lugar ao púlpito, junto aos líderes do sacerdócio presentes. O Imperador preferiu sentar- se com a congregação, em um local de onde “tinha excelente golpe de vista de toda a cerimônia”.

A Reunião Sacramental foi iniciada com os jovens da Ala cantando o Hino 53, enquanto “uma jovem senhora fazia o acompanhamento com belo efeito num harmônio”. A oração de abertura foi oferecida pelo Bispo Thomas Taylor.6 Após a bênção e distribuição do Sacramento, o Elder John Taylor, então membro do Quórum dos Doze, fez um discurso sobre “os primeiros princípios do Evangelho”, na qual o Imperador “ouviu com grande atenção”,7 e também ensinou “que a influência direta da divindade é tão necessária hoje como no tempo dos Profetas”. 

Cerca de uma hora depois, o Imperador e sua comitiva partiram para Ogden, a fim de tomarem o trem e continuar sua viagem para a Califórnia.

 Impressões

Dom Pedro II manifestou, posteriormente, suas impressões de Utah e de seus habitantes. Embora interessado em conhecer de perto a Igreja e sua história, não conseguia entender algumas das crenças que aprendeu, tais como a revelação moderna e a existência de profetas vivos. Dom Pedro II jurara8 fidelidade à Igreja Católica porque assim o exigia a Constituição Imperial de 1824, em seu Artigo 103.9

Entretanto, admirara a grande obra realizada pelos membros da Igreja em meio ao deserto, seu progresso no vale, e o preparo da terra para o plantio. Ele declarou: “Os mórmons realizaram árduo labor, preparando esta terra para as culturas, impelidos (...) pelo entusiasmo religioso”.10

Cumprimento de uma profecia

A passagem de Dom Pedro II por Salt Lake City pode ter parecido de pequeno impacto para as relações entre o Brasil e a Igreja naquele momento. Entretanto, pode-se ver o início do cumprimento de uma profecia do Presidente Brigham Young.

Os primeiros anos no vale (1847 a 1849) foram de grande sacrifício para os pioneiros que para lá se dirigiram seguindo o Profeta. O frio excessivo e ventos violentos tornaram a vida dos colonizadores muitas vezes miserável. A severidade do inverno, a fome constante, a parca colheita do ano anterior e a tentação da assim chamada “febre da Califórnia” [corrida pelo ouro] criaram
descontentamento, e alguns colonos prepararam seus carroções para partir na primavera. 11
tabernacle

Os líderes da Igreja então encorajaram e incentivaram os santos a permanecerem naquele local. O Presidente Brigham Young disse em meio a aquela situação desfavorável: “Deus designou este lugar para a reunião dos santos, e será melhor que fiquemos aqui do que saiamos em busca de minas de ouro. (...) Aqui estamos e aqui ficaremos. Quando os santos reunirem-se neste local e tornarem-se fortes o suficiente para tomar posse da terra, Deus irá amenizar o clima, e construiremos uma cidade e um templo ao Altíssimo neste lugar. (...) Reis e imperadores e os nobres e sábios da Terra aqui virão nos visitar.” 12

Após fazer essa promessa, os Santos pioneiros enfrentaram o desafio. Com sacrifício e trabalho árduo as colheitas foram abundantes, o deserto floreceu e a cidade e o Templo foram construídos. Além disso, cerca de 28 anos após fazer essa declaração, ocorreu a visita de Dom Pedro II a Salt Lake. Desde então, líderes mundiais de diversas nações da Terra visitam anualmente Salt Lake City e a sede da Igreja, cumprindo assim as palavras preditas por Brigham Young em 1848.
  
Notas:

1- WOOD, David L. Emperor Dom Pedro’s visit to Salt Lake City. Utah Historical Quarterly. Volume 37, número 3, 1969, pág. 338.
2- Idem, pág. 340.
3- WILLIAMS, Frederick G. Dom Pedro na Cidade do Lago Salgado. A Liahona. Março de 1971.
4- WOOD, David L. Emperor Dom Pedro’s visit to Salt Lake City. Utah Historical Quarterly. Volume 37, número 3, 1969, pág. 348-349.
5- Colleção D. Thereza Christina Maria Disponível em Biblioteca Nacional Digital ou Vistas do Oeste Americano.
6- GUIMARÃES, Argeu. D. Pedro II nos Estdos Unidos.Editora Civilização Brasileira S.A. Rio de Janeiro, 1961. Pág. 183.
7- WOOD, David L. Emperor Dom Pedro’s visit to Salt Lake City. Utah Historical Quarterly. Volume 37, número 3, 1969, pág. 350.
8- CARVALHO, José Murilo de. Perfis Brasileiros. Dom Pedro II. 2a edição. Companhia das Letras. São Paulo, 2008.
9- Constituição Politica do Imperio do Brazil (25 de março de 1824)
10- GUIMARÃES, Argeu. D. Pedro II nos Estados Unidos. Editora Civilização Brasileira S.A. Rio de Janeiro, 1961. Pág. 184.
11- História da Igreja na Plenitude dos Tempos. A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Salt Lake City. 2000. Pág. 342.
12- BROWN. James S. Giant of the Lord. Life of a pioneer. Bookcraft, INC. Salt Lake City. 1960. Pág. 133.

Eliane B

Conselho Multiestacas São Paulo para Assuntos Públicos
Visite nosso BLOG: http://apmesp.wordpress.com