NOSSA MISSÃO

Divulga artigos de pesquisas científicas escritos por cientistas e pesquisadores SUD.s e não SUD.s, profissionais e amadores, a respeito da arqueologia, antropologia, geografia, sociologia, cronologia, história, linguística, genética e outras ciências relacionadas à cultura de “O Livro de Mórmon - Outro Testamento de Jesus Cristo”, uma das quatro obras padrão de “A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias”.

O Livro de Mórmon conta a história dos descendentes do povo de Leí, (profeta da casa de Manassés), que saiu de Jerusalém no ano 600 a.C. (pouco antes do Cativeiro Babilônico) e viajou durante 8 anos pelo deserto da Arábia às margens do Mar Vermelho, até chegar na América (após 2 anos de navegação), desembarcando provavelmente em algum lugar da Mesoamérica (região que inclui o sul do México, Guatemala, Belize, El Salvador, Honduras, Nicarágua e parte de Costa Rica), mais precisamente a região vizinha à cidade de Izapa, no sul do México, onde, presumem os estudiosos, tenha sido o local de assentamento da primeira povoação desses colonizadores hebreus .

Este blog não é patrocinado nem está ligado oficialmente a qualquer denominação religiosa. Todo conteúdo apresentado aqui representa a opinião e é de total e exclusiva responsabilidade de seus autores, que sempre estão devidamente identificados.

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

ARQUEOLOGIA - Evidências de Que os Eventos de “O Livro de Mórmon” Aconteceram na Mesoamérica

John W. Welch
Tradutor: Elson C. Ferreira - Curitiba/Brasil - Dezembro/2010

Critérios para determinar os povos e terras do Livro de Mórmon

Há várias teorias entre os Santos dos Últimos Dias quanto à localização das terras onde aconteceram os eventos narrados no Livro de Mórmon. Alguns acreditam que lugares da geografia do Livro de Mórmon se localizam no norte do Estado de Nova York ou perto dos Grandes Lagos. Outros procuram no Peru e outros na América do Sul, ou na Baixa Península, ou no Texas, e outros propõem até mesmo a Península da Malásia.

A Book of Mormon Archaeological Forum - BMAF (Fórum Arqueológico do Livro de Mórmon) apoia o contexto mesoamericano para a maioria dos locais que serviram de cenário para os acontecimentos do Livro de Mórmon. Outras localizações podem satisfazer a alguns dos critérios a seguir, entretanto a Mesoamérica satisfaz a todos esses elementos requeridos pelo próprio livro. Essa lista de critérios não é um cardápio de lanchonete. Qualquer proposta para as terras do Livro de Mórmon deve ser capaz de demonstrar todos esses critérios.

1) Um grande rio fluindo de Sul a Norte

“E aconteceu que os anlicitas chegaram à colina de Aniú, que ficava a leste do rio Sidon, que corria perto da terra de Zaraenla; e aí começaram a guerrear os nefitas.” (Alma 2:15)

“E aconteceu que o rei enviou uma proclamação por toda a terra, a todo o seu povo que vivia em toda a sua terra, que vivia em todas as regiões circunvizinhas, terra que confinava com o mar a leste e a oeste e que era dividida da terra de Zaraenla por uma estreita faixa de deserto que se estendia do mar do leste ao mar do oeste e contornava a costa e as fronteiras do deserto que ficava ao norte, perto da terra de Zaraenla, através das fronteiras de Mânti, à cabeceira do rio Sidon, correndo de leste para oeste—e assim estavam os lamanitas separados dos nefitas.” (Alma 22:27)

2) Um grande rio se originando numa montanhosa faixa de deserto que corre desde “a terra que confinava com o mar a leste e a oeste” e serve como uma barreira natural provendo proteção contra os lamanitas.

“E assim isolou todas as fortificações dos lamanitas no deserto leste; sim, e também no oeste, fortificando a linha divisória dos nefitas e lamanitas entre a terra de Zaraenla e a terra de Néfi, desde o mar do oeste, passando pela cabeceira do rio Sidon—ocupando os nefitas toda a terra do norte, sim, toda a terra situada ao norte da terra de Abundância, de acordo com sua vontade.” (Alma 50:11)

3) Duas altas civilizações com reis, sacerdotes e cidades-estado tendo escribas como importantes oficiais e evidências de muitas grandes cidades ao redor de uma estreita faixa de um deserto montanhoso. Nenhuma outra teoria pode apresentar este fato.

4) A região da cultura norte deve conter evidências de muitas cidades construídas com cimento.

“E aconteceu que no quadragésimo sexto ano houve muitas contendas e muitas dissensões, em virtude das quais muitos deixaram a terra de Zaraenla e foram para a terra do norte, a fim de herdar a terra.
E viajaram para muito longe, chegando grandes extensões de água e muitos rios.
Sim, e espalharam-se por todas as partes da terra, por todas as partes que não estavam desoladas e sem árvores devido aos muitos habitantes que haviam vivido naquela terra anteriormente.
Ora, nenhuma parte da terra estava desolada, salvo no tocante a árvores; mas em virtude da grande destruição do povo que antes habitara a terra, chamaram-na desolada.
E como eram escassas as árvores na terra, o povo que para lá seguiu se tornou perito em trabalhos de cimento; portanto construíram casas de cimento, nas quais passaram a habitar.
E aconteceu que se multiplicaram e espalharam-se e foram da terra do sul para a terra do norte; e espalharam-se de tal forma que começaram a cobrir a face de toda a terra, desde o mar do sul até o mar do norte, do mar do oeste até o mar do leste.
E o povo que estava na terra do norte vivia em tendas e em casas de cimento, deixando crescer todas as árvores que brotavam na face da terra, a fim de que mais tarde tivessem madeira para construir suas casas, sim, suas cidades e seus templos e suas sinagogas e seus santuários; e todo tipo de edifícios.
E aconteceu que como a madeira era muito escassa na terra do norte, fizeram com que muita madeira lhes fosse enviada por barco.
E assim tornaram possível que o povo da terra do norte construísse muitas cidades, tanto com madeira como com cimento.
E aconteceu que havia entre o povo de Amon muitos que eram lamanitas de nascimento, que também foram para aquela terra.
Ora, há muitos registros desses feitos, detalhados e extensos, escritos por muitos deste povo e relativos a eles.
Mas eis que uma centésima parte dos feitos deste povo, sim, a história dos lamanitas e dos nefitas e suas guerras e contendas e dissensões; e de suas pregações e de suas profecias; e de suas viagens marítimas e construção de barcos; e construção de templos e de sinagogas e seus santuários; e de sua retidão e suas iniquidades e seus assassinatos e seus roubos e suas pilhagens e todo tipo de abominações e libertinagens, não pode ser incluída nesta obra.
Mas eis que há muitos livros e muitos registros de toda espécie que foram escritos principalmente pelos nefitas.
E eles foram transmitidos de uma geração a outra pelos nefitas, até que eles caíram em transgressão e foram assassinados, roubados e perseguidos e expulsos e mortos e espalhados pela face da terra; e misturaram-se com os lamanitas até não serem mais chamados de nefitas, tornando-se iníquos e selvagens e ferozes, sim, até se transformarem em lamanitas.
E agora retorno ao meu relato; portanto tudo que eu disse aconteceu após ter havido grandes contendas e distúrbios e guerras e dissensões entre o povo de Néfi.
O quadragésimo sexto ano do reinado dos juízes terminou.” (Helamã 3:3-18,)

John W. Welch, um dos fundadores originais da FARMS, atual Editor Chefe dos Estúdios BYU e o descobridor dos quiasmas no Livro de Mórmon fez a seguinte declaração em Janeiro de2010:

“Quando as pessoas se aproximam de mim com perguntas a respeito do Modelo dos Grandes Lagos para a geografia do Livro de Mórmon, esta é a minha resposta padrão: “O capítulo 3 do livro de Helamã requer uma vasta área norte de uma estreita faixa de terra onde o cimento era o principal material de construção porque a madeira era escassa. Grandes cidades foram construídas inteiramente de cimento. Estruturas de cimento deterioram lentamente, de modo que mesmo depois de centenas ou milhares de anos, algumas ruínas permanecem. No Vale Central do México, norte do Istmo de Tehuantepec, visitei algumas ruínas de enormes cidades datando dos tempos do Livro de Mórmon que foram construídas quase inteiramente de cimento.

Mostre-me as antigas ruínas de grandes cidades de cimento em redor dos Grandes Lagos. Não há nenhuma. Então podemos liberar o Modelo dos Grandes Lagos porque só estamos interessados em evidências concretas para O Livro de Mórmon.”
5) Duas sociedades altamente letradas (linguagem escrita) vivendo em regiões adjacentes mas separadas uma da outra entre os anos de 550 a.C. e 200 a.C., uma das quais vivia  "bem ao norte” da outra. Eles devem ter coexistido por pelo menos por 250 anos.

6) Uma pequena e estreita faixa de terra dividindo a terra do norte da terra do sul.

“E assim, a distância entre o mar do leste e o mar do oeste, pela fronteira entre Abundância e a terra de Desolação, era o equivalente a um dia e meio de viagem para um nefita. E assim, a terra de Néfi e a terra de Zaraenla estavam quase que rodeadas por água, havendo uma pequena faixa de terra entre a terra do norte e a terra do sul.” (Alma 22:32)

“E aconteceu que se multiplicaram e espalharam-se e foram da terra do sul para a terra do norte; e espalharam-se de tal forma que começaram a cobrir a face de toda a terra, desde o mar do sul até o mar do norte, do mar do oeste até o mar do leste.” (Helemã 3:8)

“E construíram uma grande cidade perto da faixa estreita de terra, perto do lugar onde o mar divide a terra.” (Éter 10:20)
Região de Oaxaca com o Istmo de Tehuantepec a leste

7) Calendários múltiplos e funcionais e sistemas de datação

8) Uma classe de comerciantes usando pesos e medidas atrelados ao ouro, prata e grãos.

“Era este o cálculo estabelecido: Um senine de ouro, um seon de ouro, um sum de ouro e um limna de ouro.
Um senum de prata, um amnor de prata, um ezrom de prata e um onti de prata.
Um senum de prata equivalia a um senine de ouro, e tanto um como outro valiam uma medida de cevada e também uma medida de todos os tipos de grãos.
Ora, o valor de um seon de ouro era duas vezes o valor de um senine. E um sum de ouro era duas vezes o valor de um seon. E um limna de ouro tinha o valor de todas as outras moedas.
E um amnor de prata valia tanto quanto dois senuns. E um ezrom de prata valia por quatro senuns. E um onti tinha o valor de todas as outras moedas.
Ora, este era o valor dos números menores de seus cálculos—Um siblon era a metade de um senum; portanto, um siblon valia meia medida de cevada. E um siblum era a metade de um siblon. E um leá era a metade de um siblum.
Ora, estes eram seus números, segundo seus cálculos. Ora, um antion de ouro era igual a três siblons.” (Alma 11: 5-19)

9) Construtores para construir templos, torres e estradas usando cimento  (clique aqui para ver declaração de John W. Welch)
Escultura em jade de Nebaj, Quiché. Periodo Clásico.
10) Artesãos altamente qualificados trabalhando com metais preciosos e em cantaria (trabalhos de pedra)
“E eis que em ambas essas terras havia todo tipo de ouro e de prata e de minerais preciosos de toda espécie; e havia também hábeis artífices que trabalhavam e refinavam toda espécie de minério; e assim, tornaram-se ricos.” (Helamã 6:11)

11) Uma sociedade guerreira - grandes batalhas, estrutura militar, fortificações sofisticadas.
Maquahuitl, armamento encontrado em toda Mesoamerica, e até fora dela, de origem Chichimeca), herdaram de etnias oriundas da Mesoamerica, uma delas é o propulsor, ou em Yucateco (Atl-atl)...Esta arma, era usada pelos Maias Putum em combates e na caça...E logo "toda" a Mesoamerica passou a produzi-la...Estes propulsores, arremessavam "dardos dentados" à distâncias consideráveis, causando grade número de baixas, ou ferimentos mortais.

12) Lendas a respeito de um Deus branco e barbado
13) Deve ser no Hemisfério Ocidental mas um local  do qual Joseph Smith não pudesse ter conhecimento por volta do ano de 1829.

14) O clima de inverno deve ser tolerável o suficiente para que os combatentes lamanitas vestissem tangas e tivessem a cabeça raspada.

“Ora, a cabeça dos lamanitas era rapada; e andavam nus, com exceção de uma pele que lhes cingia os lombos e também da armadura que os cingia; e de seus arcos e suas flechas e suas pedras e suas fundas e assim por diante.
Ora, aconteceu que alguns dias depois da batalha travada na terra de Zaraenla pelos lamanitas e anlicitas, outro exército dos lamanitas caiu sobre o povo de Néfi, no mesmo lugar em que o primeiro exército enfrentara os anlicitas.
E aconteceu que foi enviado um exército para expulsá-los de sua terra.
Ora, o próprio Alma, estando ferido, não subiu dessa vez para batalhar contra os lamanitas.
Mas enviou um numeroso exército contra eles; e eles subiram e mataram muitos dos lamanitas, rechaçando o restante deles para fora das fronteiras de sua terra.
E voltaram e começaram a estabelecer a paz na terra, não sendo mais molestados por seus inimigos durante algum tempo.
Ora, todas estas coisas se deram, sim, todas estas guerras e contendas começaram e terminaram durante o quinto ano do governo dos juízes.” (Alma 3:5; 20-25)

15) A terra deve mostrar evidências de exploração susbstancial de ouro e prata na Terra da Primeira Herança, na Terra de Néfi, na Terra de Zaraenla e na terra dos Jareditas.

“E aconteceu que se tornaram imensamente ricos, tanto os lamanitas quanto os nefitas; e havia grande abundância de ouro e de prata e de toda sorte de metais preciosos, tanto na terra do sul como na do norte.” (Helamã 6:9)
Este trabalho de ouro se deve, provavelmente a um ourives zapoteca. A figura leva um pingente no pescoço e na frente, três sinetas.

16) Uma base agrícola para sustentar vários milhões de pessoas, cuja área tenha sido visitada por Cristóvão Colombo.

“E olhei e vi entre os gentios um homem que estava separado da semente de meus irmãos pelas muitas águas; e vi que o Espírito de Deus desceu e inspirou o homem; e indo esse homem pelas muitas águas, chegou até a semente de meus irmãos que estava na terra da promissão.”(1 Nephi 13:12)

A proposta de Nova York para as terras do Livro de Mórmon deve incluir todos os requisitos acima para ser considerada seriamente.

        
Por que o Modelo dos Grandes Lagos não se qualifica

1) Nenhum grande rio corre no sentido norte-sul; o rio Mississipi corre do sul para o norte.

2) Nenhuma faixa montanhosa de deserto que pudesse esconder os ladrões de Gadianton, defender contra os lamanitas e servir como linha divisória militar para o Capitão Morôni.

“E aconteceu que os nefitas haviam povoado a terra de Abundância, desde o mar do leste até o mar do oeste; e assim os nefitas, em sua sabedoria, com seus guardas e seus exércitos, haviam confinado os lamanitas no sul, para que desse modo não mais ocupassem as terras ao norte e não invadissem a terra do norte.
Portanto os lamanitas não podiam mais ter terras, a não ser na terra de Néfi e nos desertos a sua volta. Ora, nisto os nefitas foram prudentes—como os lamanitas eram seus inimigos, não sofreriam ataques por todos os lados e teriam também um país onde se refugiar, segundo seus desejos.” (Alma 22:33-34)

“E assim isolou todas as fortificações dos lamanitas no deserto leste; sim, e também no oeste, fortificando a linha divisória dos nefitas e lamanitas entre a terra de Zaraenla e a terra de Néfi, desde o mar do oeste, passando pela cabeceira do rio Sidon—ocupando os nefitas toda a terra do norte, sim, toda a terra situada ao norte da terra de Abundância, de acordo com sua vontade.” (Alma 50:11)

3) Existência de muito pouco ouro e prata a leste do rio Mississipi.

4) Nenhuma evidência de construção de cimento em qualquer lugar a leste dos Estados Unidos ou Canadá; arqueólogos têm determinado que a grande maioria dos sítios arqueológicos datando do período do Livro de Mómon estão localizados na Mesoamérica.

5) Nenhuma evidência de que Adena e Hopewell co-existiram por 250 anos. Cometemos grave erro tentando montar o quebra-cabeças histórico do Livro de Mórmon se ignorarmos a história tradicional da Mesoamérica.

6) Adena e Hopewell não eram verdadeiras civilizações, mas pequenas unidades familiares relacionadas, malmente unidas e com evidências de uma linguagem escrita. A área do Istmo de Tehuantepec e ao redor dela constitui o embrião tanto do sistema de calendários e da linguagem escrita das Américas. Somente este fato virtualmente elimina qualquer outra área geográfica de ser considerada como “terras do Livro de Mórmon”.

7) As assim chamadas “provas de DNA” usam teorias pouco substanciais.

8) As declaração de Joseph Smith sobre a geografia do Livro de Mórmon aponta para a Mesoamérica (clique aqui para ver o que o Profeta Joseph Smith disse a respeito da Mesoamérica [em inglês])

9)  Cristóvão Colombo foi dirigido “à terra da promissão”, entretanto ele nunca visitou a América do Norte.

Fonte URL: http://www.bmaf.org/node/227

Links:
[1] http://www.bmaf.org/node/269
[2] http://www.youtube.com/watch?v=MVCXOpxga3Q&feature=sub
[3] http://www.bmaf.org/node/276