NOSSA MISSÃO

Divulga artigos de pesquisas científicas escritos por cientistas e pesquisadores SUD.s e não SUD.s, profissionais e amadores, a respeito da arqueologia, antropologia, geografia, sociologia, cronologia, história, linguística, genética e outras ciências relacionadas à cultura de “O Livro de Mórmon - Outro Testamento de Jesus Cristo”, uma das quatro obras padrão de “A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias”.

O Livro de Mórmon conta a história dos descendentes do povo de Leí, (profeta da casa de Manassés), que saiu de Jerusalém no ano 600 a.C. (pouco antes do Cativeiro Babilônico) e viajou durante 8 anos pelo deserto da Arábia às margens do Mar Vermelho, até chegar na América (após 2 anos de navegação), desembarcando provavelmente em algum lugar da Mesoamérica (região que inclui o sul do México, Guatemala, Belize, El Salvador, Honduras, Nicarágua e parte de Costa Rica), mais precisamente a região vizinha à cidade de Izapa, no sul do México, onde, presumem os estudiosos, tenha sido o local de assentamento da primeira povoação desses colonizadores hebreus .

Este blog não é patrocinado nem está ligado oficialmente a qualquer denominação religiosa. Todo conteúdo apresentado aqui representa a opinião e é de total e exclusiva responsabilidade de seus autores, que sempre estão devidamente identificados.

segunda-feira, 5 de julho de 2010

A Terra de Abundância na Arábia

Alan C. Miner

Tradutor Elson Carlos Ferreira – Curitiba/Brasil – 2007


Excertos do Livro Step by Step in the Book of Mormon
(Passo a Passo Através do Livro de Mórmon)
citando George Potter e Richard Wellington
Ver seu Livro Lehi in the Wilderness e seu website

“E chegamos à terra a que demos o nome de Abundância...”
(1 Néfi 17:5)

De acordo com Potter e Wellington, a região ao redor de Dhofar, na qual Ain Humran se situava, é a que mais se encaixa nos requerimentos textuais de Néfi para a terra de Abundância, conforme segue:


1.       Ficava "na direção aproximada do leste" de Nahom. (1 Néfi 17:1)
2.       Tinha grande variedade e abundância de frutos. (1 Néfi 17:5; 18:6)
3.       Tinha mel silvestre. (1 Néfi 17:5)
4.       Tinha acesso à praia. (1 Néfi 17:6)
5.       Ficava perto de "muitas águas". (1 Néfi 17:6)
6.       Havia perto uma montanha. (1 Néfi 17:7)
7.       Havia disponibilidade de minério. (1 Néfi 17:7)
8.       Havia disponíveis pedras para fazer fogo. (1 Néfi 17:11)
9.       Havia animais ou peles para Néfi fazer foles para avivar o fogo. (1 Néfi 17:11)
10.   Havia disponibilidade de "carne do deserto". (1 Néfi 18:6)
11.   As seguintes coisas eram necessárias para construir e navegar navio de Néfi: (1 Néfi 17:8)
·         Um porto para construir e de onde lançar o navio.
·         Um porto protegido para abrigar o navio.
·         Materiais para construir o navio.
·         Materiais para equipar o navio.
·         Trabalhadores experientes ajudar a construir o navio.
·         Uma tripulação treinada para navegar com o navio.
·         Um capitão qualificado para comandar o navio.
12.   Penhascos diretamente acima da água profunda

A visão da proposta terra de Abundância. Os montes verdes permanecem em vívido contraste com o pálido deserto visível à distância, onde as chuvas das monções não falham.

Dhofar: a terra de Abundância da Arábia mostrando o do rio e a trilha que leva a ele; khor Rori, o proposto porto onde Néfi teria construído seu navio.

Nota Editorial Note de V. Garth Norman:

 A localização exata da Abundância de Leí na costa sul da Arábia pode nunca ser conhecida conclusivamente, mas também pode. O fato de que dois lugares existem (ou os nomes?) que cumprem os requerimentos textuais do Livro de Mórmon e que eram desconhecidos por Joseph Smith, é uma confirmação da autenticidade histórica deste registro. Uma linha de pensamento é que Néfi não poderia ter terminado o projeto de construção do navio com seus irmãos sem alguma ajuda especializada e materiais de construtores de navios.

A lição a ser aprendida com a experiência do navio é que se alguém tem fé pode mover uma montanha ou construir um grande navio do nada, com nenhum conhecimento anterior e sem materiais apropriados, exceto a orientação por revelação, e navegar através do oceano? Ou antes, é verdade que quando alguém exercita fé em obediência, como o pedido de Néfi pelas placas de latão, por exemplo, o Senhor abre o caminho e providencia os recursos e a assistência necessários para que se complete a tarefa? O Senhor conduziu Néfi até Labão, mas Néfi teve que completar o trabalho. Foi com um trabalho de equipe, feito com Zoram, que ele obteve as placas.

Se nós admitirmos que havia as mesmas condições de trabalho no projeto do navio, então Leí muito provavelmente iria para um lugar onde a ajuda especializada, o conhecimento e os recursos estivessem disponíveis para completar a tarefa, com alguma ajuda, sob a supervisão de Néfi. A revelação pode ter dado a ele a direção para construir um grande navio, mais adequado às suas necessidades do os que existiam naquele tempo e lugar. Lynn Hilton foi o primeiro a identificar a localização geral. Talvez George Potter e Richard Wellington estejam certos na pista ao trazer-nos “o resto da história” do seu campo de trabalho e pesquisa, como resumido por Allan Miner.  Agora podemos apreciar com maior clareza que Leí foi realmente levado pelo Senhor a uma terra onde um navio podia ser construído e aprovisionado para viajar para a América. A busca pela terra de Abundância é uma lição da qual podemos aprender a respeito da história e da geografia que nos traz maior entendimento da história do Livro de Mórmon e seus ensinamentos espirituais.
Garth Norman.

Copyright © 1999-2002 Ancient America Foundation