NOSSA MISSÃO

Divulga artigos de pesquisas científicas escritos por cientistas e pesquisadores SUD.s e não SUD.s, profissionais e amadores, a respeito da arqueologia, antropologia, geografia, sociologia, cronologia, história, linguística, genética e outras ciências relacionadas à cultura de “O Livro de Mórmon - Outro Testamento de Jesus Cristo”, uma das quatro obras padrão de “A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias”.

O Livro de Mórmon conta a história dos descendentes do povo de Leí, (profeta da casa de Manassés), que saiu de Jerusalém no ano 600 a.C. (pouco antes do Cativeiro Babilônico) e viajou durante 8 anos pelo deserto da Arábia às margens do Mar Vermelho, até chegar na América (após 2 anos de navegação), desembarcando provavelmente em algum lugar da Mesoamérica (região que inclui o sul do México, Guatemala, Belize, El Salvador, Honduras, Nicarágua e parte de Costa Rica), mais precisamente a região vizinha à cidade de Izapa, no sul do México, onde, presumem os estudiosos, tenha sido o local de assentamento da primeira povoação desses colonizadores hebreus .

Este blog não é patrocinado nem está ligado oficialmente a qualquer denominação religiosa. Todo conteúdo apresentado aqui representa a opinião e é de total e exclusiva responsabilidade de seus autores, que sempre estão devidamente identificados.

sexta-feira, 16 de julho de 2010

ARQUEOLOGIA - Desafio aos Críticos: Evidências do Livro de Mórmon

Diane E. Wirth

Horizon Publishers & Distributors, Bountiful, Utah, 1986.

Tradução: Elson Ferreira - Curitiba/Brasil- Março/2007
de.jerusalem.as.americas@gmail.com

O Livro de Mórmon - Edição Original de 1830

Críticas negativas têm sido levantadas contra o Livro de Mórmon desde sua primeira publicação em 1830. Diane E. Wirth examinou várias dessas críticas em seu livro.

Ela as analisou em 14 capítulos com os seguintes títulos:

Respondendo aos Críticos; A Declaração de Smith; Placas de Metal e Caixas de Pedra; Sistema Monetário Nefita; Elefantes, Cavalos e Abelhas na América Antiga; A Roda; A Pedra da Árvore da Vida de Leí; Registros Antigos Americanos e o Egípcio Reformado; Palavras Impressas, Quiasmas, Hebraismos e Códigos; Os Antigos; Muleque e Companhia; Descendentes de José; As Sete Tribos, e Jesus Cristo na Antiga América.

Em cada capítulo a autora trata uma declaração histórica específica ou algum ponto no texto do Livro de Mórmon, seguido por algum contraponto crítico. Ela faz comentários no ponto e no contraponto. A parte principal de cada capítulo provê evidências relacionadas a alguma declaração histórica do Livro de Mórmon. Ela apresenta suas conclusões no final de cada capítulo.

No capítulo 1 ela conclui:

1) "Uma má interpretação dos fatos não apenas diminui a credibilidade dos críticos como pesquisadores, como também não é atrativa ao público. A aceitação por parte da crítica nem sempre é válida".


2) "Os estudiosos SUD podem diferir em suas teorias mas elas não representam a doutrina da Igreja. O Livro de Mórmon nos foi deixado como um guia espiritual, não como um mapa geográfico para encontrar ruínas arqueológicas".
3) "Os israelitas não foram os únicos a cruzar os oceanos em direção às Américas nos tempos pré-colombianos. Muitos estudioso não-SUD apoiam o argumento de que houve viagens transoceânicas do Velho para o Novo Mundo". Este exemplo é típico em cada conclusão de capítulo.

Carta Universal
("Carta Universal" desenhada por Juan de la Cosa, grande mestre e proprietário da caravela Santa María de 1500. Este é o trabalho cartográfico mais antigo do continente Americano. Representa o conhecimento geográfico daquela época e inclui as descobertas de Cristóvão Colombo, Ojeda, Vicente Yáñez Pinzón, e John e Sebastian Caboto)
No capítulo 2 da Smithsonian Institution, "Declaração a Respeito do Livro de Mórmon” item nº 8 lemos: "Nenhuma inscrição usando formas de escrever da época do Velho Testamento tem sido mostrada como tendo ocorrido em alguma parte das Américas antes de 1492, exceto por algumas pedras que foram encontradas na Groenlândia". Por alguma razão a autora desta declaração não foi advertida de que a Smithsonian Institution foi patrocinada por duas expedições que recuperaram tais inscrições. A primeira expedição a Bat Creek Tennessee, encontrou uma pequena pedra escrita em hebreu.


Bat Creek, escavada no Tennessee em 1889, mede aproximadamente 12,5 cm de comprimento e  5 cm de largura. Está inscrita com oito caracteres Páleo-hebreus datados aproximadamente do primeiro ou segundo século depois de Cristo.2

O diretor desta expedição em 1885 foi o renomado explorador Cyrus A. Thomas. A segunda expedição em 1891, a Chatata, Ohio, encontrou 872 caracteres escritos num muro de arenito. Uma carta a Diane E. Wirth da Smithsonian Institution datada em 10 Setembro de 1979 declara que sua lingüista era da opinião de que os caracteres inscritos em Chatata "têm uma vaga similaridade com as conhecidas letras do Oriente Médio"

Todos os capítulos têm novas informações e representam extensa pesquisa por parte da autora. Eu pessoalmente considerei o capítulo 13 muito informativo. A interpretação do Monumento 21 de Bilbao, Santa Lucia Cotzumalhuapa, Guatemala, é um importante paralelo do registro do Livro de Mórmon. Tenho uma informação adicional que reforça as conclusões da autora concernente ao Monumento 21.
File:Bilbao 1.jpg

Wikipedia - Bilbao é um sítio arqueológico Mesoamericano a quase 1,6 Km  da moderna cidade de Santa Lucía Cotzumalguapa em Escuintla, na Guatemala.[2] O lugar fica entre platações de cana de açúcar na planície costeira do Oceano Pacífico e sua principal fase de ocupação deu-se no  Período Clássico.[3] Bilbao foi o maior centro pertencente à cultura Cotzumalhuapa com sua principal fase de ocupação ocorrendo no período Pós Clássico(600–800d.C).[4] Bilbao é o antigo nome da plantação na qual o sítio está e da qual derivou seu nome.[5]



O livro egípcio Book of the Deads (Livro dos Mortos) declara a transformação da serpente em relação ao conceito da imortalidade no Século X antes de Cristo. Ilustrações de uma “serpente emplumada” nesse livro é uma descoberta significativa.

Aqueles que têm profundo interesse no Livro de Mórmon considerariam o livro de Diane uma interessante adição para sua biblioteca pessoal.



A Challenge to the Critics: Scholarly Evidences of the Book of Mormon
book data
4.25 avg rating, 4 ratings, 2 reviewsdetails
edit

published
August 15th 1986 by Horizon Pub & Dist Inc (first published 1986)

details
Hardcover, 153 pages

isbn
0882903128    (isbn13: 9780882903125)

($10.38) • Amazon • Half.com • WorldCat • More…

http://www.goodreads.com/book/show/175.A_Challenge_to_the_Critics

Copyright © 1999-2002 Ancient America Foundation.