NOSSA MISSÃO

Divulga artigos de pesquisas científicas escritos por cientistas e pesquisadores SUD.s e não SUD.s, profissionais e amadores, a respeito da arqueologia, antropologia, geografia, sociologia, cronologia, história, linguística, genética e outras ciências relacionadas à cultura de “O Livro de Mórmon - Outro Testamento de Jesus Cristo”, uma das quatro obras padrão de “A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias”.

O Livro de Mórmon conta a história dos descendentes do povo de Leí, (profeta da casa de Manassés), que saiu de Jerusalém no ano 600 a.C. (pouco antes do Cativeiro Babilônico) e viajou durante 8 anos pelo deserto da Arábia às margens do Mar Vermelho, até chegar na América (após 2 anos de navegação), desembarcando provavelmente em algum lugar da Mesoamérica (região que inclui o sul do México, Guatemala, Belize, El Salvador, Honduras, Nicarágua e parte de Costa Rica), mais precisamente a região vizinha à cidade de Izapa, no sul do México, onde, presumem os estudiosos, tenha sido o local de assentamento da primeira povoação desses colonizadores hebreus .

Este blog não é patrocinado nem está ligado oficialmente a qualquer denominação religiosa. Todo conteúdo apresentado aqui representa a opinião e é de total e exclusiva responsabilidade de seus autores, que sempre estão devidamente identificados.

segunda-feira, 28 de junho de 2010

LINGUÍSTICA - Perguntas Negativas No Livro de Mórmon


Tradutor Elson C Ferreira – Curitiba/Brasil
de.jerusalem.as.americas@gmail.com

O Livro de Mórmon contém uma mistura de linguagem moderna e antiga.1 Devido à falta de sofisticação lingüística por parte de Joseph Smith, a tradução do Livro de Mórmon contém em algumas partes o que parece ser um belo hebraísmo literal misturado com seu próprio dialeto novaiorquino.2
Um possível hebraismo de interesse é o uso que Mórmon fez de perguntas retóricas negativas quando tem uma intenção de significado positivo. Alguns tradutores modernos da Bíblia3 têm começado a traduzir estas questões negativas de um modo positivo e até mesmo enfático. Tais questões ocorrem em inglês, mas elas são mais fortes e mais comuns na Bíblia em hebreu.4

Os tradutores da versão do Rei Tiago do Velho Testamento interpretaram o hebreu (e o aramaico) bastante literalmente com relação ao idioma o inglês. A KJV (Versão do Rei Tiago) contém, portanto, muitas destas perguntas em inglês. Por causa de sua presença na KJV, este padrão no Livro de Mórmon não pode ser usado como forte evidência de um hebreu original.5 No entanto, estando conscientes da sua presença, podemos ajudar a derramar luz sobre algumas passagens do Livro de Mórmon.

Formas hebraicas de perguntas “polares”, isto é, sim/não,por meio de um “h?” prefixado, (uma partícula interrogativa), e perguntas negativas com a adição de h?lô' (a partícula acrescenta a palavra"não") em contraste a uma "pergunta simples” quando o questionador está totalmente incerto quanto à resposta que é esperada."6 Pesquisadores hebreus têm apontado que estas perguntas negativas algumas vezes têm uma “nuance exclamatória” ou uma “força especial de asseveração”7, que significa que elas estão sendo usadas com efeito, entendendo uma declaração positiva e até mesmo enfática.

Exemplos - Velho Testamento

Uns poucos exemplos serão suficientes para mostrar que onde a KJV traduz literalmente a formação da base em hebreu, algumas Bíblias novas traduzem o efeito pretendido no ouvinte, um indicativo positivo ou enfático.8
Exemplo 1- Deuteronômio 11:30

KJV: Deuteronômio 11:30 - Não estão eles do outro lado do Jordão, no caminho onde o sol se põe, na terra dos Cananitas, que habitam na campina defronte de Gilgal, junto às planícies de More?NIV: Como se sabe, estas montanhas estão além do Jordão, a oeste da estrada, na direção do por do sol, junto às grandes árvores de More, no território dos Cananitas, em Arabah, nas proximidades de Gilgal.

Examplo 2-Isaias 10:8

KJV: Pois ele diz, não são meus príncipes todos reis? JPS: Pois ele pensa, "Afinal de contas, eu tenho reis como meus capitães!"

Examplo 3-Juízes 4:14
KJV: E Débora disse a Baraque: “Levanta, pois este é o dia em que o SENHOR tem entregue Sísera na tua mão; não está o SENHOR indo diante de ti? Assim Baraque desceu do monte Tabor, e dez mil homens após ele”. NRSV: Então Débora disse a Baraque, "Levanta! Pois este é o dia em que o SENHOR entregou Sísena na tua mão. O SENHOR ainda está indo diante de ti". Assim Baraque desceu do Monte Tabor com dez mil guerreiros lhe seguindo.

Exemplos do Livro de Mórmon

Um bom exemplo vem de Helamã 9, no qual Néfi é acusado de assassinar o juiz supremo, Seezorã. Néfi profeticamente enviou as autoridades ao verdadeiro assassino, Seântum. Néfi os instrui a questionar Seântum, e lhe perguntar: "De onde provém este sangue [na barra de seu manto]? Não sabemos que é o sangue de teu irmão?"9 Em outras palavras, "Nós de fato sabemos que é o sangue de teu irmão". Então Seântum prontamente confessa.

O segundo exemplo a passagem bem conhecida de Morôni 10:4.10 "E quando receberdes estas coisas, eu vos exorto a perguntardes a Deus, o Pai Eterno, em nome de Cristo, se estas coisas não são verdadeiras;11 e se perguntardes com um coração sincero e com real intenção, tendo fé em Cristo, ele vos manifestará a verdade delas pelo poder do Espírito Santo". Enquanto isto é facilmente entendível em inglês, podemos parafrasear como "Eu gostaria de exortar-vos a que perguntásseis a Deus, o Pai Eterno, em nome de Cristo, se estas coisas de fato são verdadeiras".12

Outros exemplos podem incluir 1 Néfi 15:12, 2 Néfi 31:7, Jacó 5:48, Mosías 4:19, 7:23, 20:18, 27:15, Alma 5:11, 27:18, 39:18, 39:19, e 47:34.13

O Livro de Mórmon também faz perguntas negativas nas quais aquele que pergunta responde sua própria questão com a resposta "sim". Isto pode corresponder a uma categoria de pergunta ligeiramente diferente usando h?lô, indicando que "uma resposta afirmativa é esperada".14 Por exemplo, em Alma 5:59 lê-se "Pois qual é o pastor entre vós que, tendo muitas ovelhas, não zela por elas, para que os lobos não entrem e devorem-lhe o rebanho? E eis que se um lobo entrar no meio de seu rebanho, não o porá para fora? Sim, e no final, se lhe for possível, destruí-lo-á". Outros exemplos incluem 1 Néfi 15:15, Mosías 12:30, 13:33, Alma 26:35, 32:30, e Mórmon 9:16.
Sumário


Apesar de algumas sugestões, inclusive esta, pode estar errado quando todos os fatos não são conhecidos, no entanto nós devemos usar a luz que temos para aventurarmo-nos nos cantos escuros de diferentes aspectos do Livro de Mórmon. Apesar de improváveis os dados que conhecemos até agora, é possível, se não provável, que os autores do Livro de Mórmon deliberadamente usaram perguntas retóricas negativas para indicar ênfase positiva, como fizeram os autores bíblicos hebreus.
Notas

1 Eu me refiro somente à linguagem de tradução, não à proposta "tradução expandida" como originalmente proposto por Blake Ostler (Blake T. Ostler, "The Book of Mormon as a Modern Expansion of an Ancient Source," Dialogue 20 (1987): 66-123). De acordo com Kevin Christensen, que tem tido várias comunicações com Ostler, ele tem abandonado largamente os exemplos que ele escolheu para aquele artigo. (E-mail de Christen em minha posse). Christensen estará publicando um artigo sobre este assunto na FARMS Review com uma longa citação de Ostler sobre este assunto.

2 John Gee indicou que muitos dos assim chamados Hebraismos são também egípcios, que alguns têm agüido seja a linguagem do Livro de Mórmon. Veja sua revisão da The Encyclopedia of Mormonism, na FARMS Review of Books, 5 (1993): 179. À parte o egípcio, certamente os hebraísmos foram passados adiante como são compartilhados por outras linguagens semíticas com as quais Leí possa ter estado familiarizado.

3 Estas estão entre os judeus e várias traduções cristãs, demonstrando que a decisão de traduzir estas perguntas negativas positivamente não é uma idiossincrasia do tradutor ou um preconceito teológico.

4 Em alguns casos, o hebreu usado é funcionalmente mais aproximado às “question tags” (partículas interrogativas) em inglês, significando afirmar a validade da declaração como em , "Está quente, não está?" Veja Bruce K. Waltke e Michael Patrick O'Connor, An Introduction to Biblical Hebrew Syntax (Winona Lake, Indiana: Eisenbrauns, 1990), § 40.3, footnote 48.

5 Que é, não pode ser demonstrado conclusivamente que este padrão na tradução seja devido à sua presença nas placas versus a influência da linguagem da tradução do Rei Tigao na linguagem de Juseph Smith. Isto é particularmente difícil para as frazes interrogativas por causa da sobreposição entre costume inglês e hebreu. Veja a útil discussão de hebraismos (e referências) de Kevin Barney, "A More Responsible Critique”,The FARMS Review 15:1 (2003): 114-115. "Considerando o fato de que em muitos dos casos, hal?' não encaixa bem se concebido como uma mera partícula interrogativa, algumas interpretações alternativas têm sido propostas. Nós, entretanto, somos completamente conscientes do caráter subjetivo de alguns deles. O problema com o qual nos defrontamos é extremamente difícil".H.A. Brongers, "Some Remarks on the Biblical Particle hal?'“, “Oudtestamentische Studiën” 21 (1981): 189.

6 Wilhelm Gesenius, E. Kautzsch, and A. E. Cowley, Gesenius' Hebrew Grammar, Second English edition (Oxford: The Clarendon Press, 1910), §150 d.

7 Paul Joüon eT. Muraoka, A Grammar of Biblical Hebrew (Roma: Editrice Pontificio Istituto Biblio, 1991), §161 b-c and 164 d. Gesenius, falando da interrogativa em geral diz: "Umas poucas passagens reservam especial menção, nas quais o uso de interrogativas é totalmente diferente do nosso idioma, já que serve meramente para expressar a convicção de que o conteúdo da declaração é bem conhecido pelo ouvinte, e é admitido incondicionalmente por ele.” Isto parece particularmente apropriado para Mosías 27:15. Gesenius, Kautzsch, e Cowley, Gesenius' Hebrew Grammar, §150 e. Para mais referências, veja Waltke and O'Connor, An Introduction, §40.3, footnote 48. H.A. Brongers divide isto em tres categorias com múltiplas subcategorias. Veja Brongers, "Some Remarks on the Biblical Particle hal?'."

8 Mais exemplos são alistados em Brongers, "Some Remarks on the Biblical Particle hal?'," 177-189.

9 Veja Helamã 9:32. Ênfase minha.

10 Isto é, certamente, um exemplo válido se nosso entendimento do hebreu bíblico for também aplicado neste período de tempo. Que aquele hebreu ainda estava em uso, pelo menos na escrita, é indicado por Morôni em Mórmon 9:33. Ele nota que seu hebreu havia sido “alterado”. Apesar de isto certamente ocorrer, nós simplesmente não temos dados de mudanças diacrônicas no hebreu nefita. Cf. footnote 13.

11 Porque esta é uma pergunta indireta polar, o começo da frase seria 'im lô', em vez de h?lô'. Como uma nota, vários críticos do Livro de Mórmon têm argüido que se alguém toma a escritura de Morôni 10:4, uma resposta positiva a uma oração quanto à sua veracidade indicaria que o Livro de Mórmon era falso. Eu acredito que isto é uma hostil má interpretação do idioma inglês, o padrão hebreu que eu proponho efetivamente menospreza este argumento.

12 Royal Skousen observou outro hebraismo que ocorre nesta passagem na edição de 1830. Veja Royal Skousen, "The Original Language of the Book of Mormon: Upstate New York Dialect, King James English, or Hebrew?" Journal of Book of Mormon Studies 3:1 (1994): 34-35. Skousen defende esta questão em Royal Skousen, "Critical Methodology and the Text of the Book of Mormon," review of New Approaches to the Book of Mormon: Explorations in Critical Methodology, FARMS Review of Books 6:1 (1994): 132-135.

13 Não tenho sido capaz de localizar nenhum bom exemplo disto senão no livro de Alma, exceto em Morôni 10:4. Isto pode ser devido à alteração no hebreu nefita ou a uma coincidência de nenhum outro exemplo acontecer de ter sido copiado das placas. Também é possível que eu simplesmente não observei outros exemplos.

14 Waltke and O'Connor, An Introduction, §40.3, footnote 48.